Autarcas de Almeida barricaram-se em agência da Caixa Geral de Depósitos

Cerca de 100 pessoas estiveram fechadas na agência em protesto contra o seu encerramento

O vice-presidente da Câmara de Almeida, a presidente da Junta de Freguesia e um vereador, junto com cerca de uma centena de pessoas, barricaram-se esta quarta-feira no interior da agência da Caixa Geral de Depósitos de Almeida.

Tratou-se de um protesto pacífico contra o eventual fecho daquela agência na sede do concelho, como disse à Lusa a presidente da Junta de Freguesia local.

Os manifestantes mantiveram-se nas instalações do banco até cerca das 21:00, tendo acabado por sair pacificamente, ainda que visivelmente desiludidos por não terem recebido qualquer garantia dos responsáveis da CGD sobre

No exterior estiveram também reunidas aproximadamente mais cem pessoas, também de forma pacífica.

"O nosso objetivo é termos uma resposta da administração da Caixa Geral de Depósitos em como a agência continua em funcionamento", disse a autarca Fátima Gomes.

Um habitante de Almeida, contactado pela Lusa durante o protesto, explicou que pelas 14:00 as pessoas começaram a entrar nas instalações a pedir informações sobre as contas bancárias, evitando que as instalações fossem encerradas.

O mesmo habitante adiantou que se trata de um protesto pacífico e que há alguns elementos da GNR nas imediações.

Várias centenas de habitantes e autarcas de Almeida manifestaram-se no dia 12 contra a decisão do fecho da agência local da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e exigiram a sua manutenção naquela vila do distrito da Guarda.

Com o protesto, realizado no Largo 25 de Abril, no exterior das muralhas da vila, os participantes pretenderam alertar a administração da CGD para a manutenção da agência local.

A GNR esteve no local.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Sociedade
Pub
Pub