Vistas diz que juiz foi do PSD. E admite que é seu padrinho

Paulos Vistas foi delfim de Isaltino e agora são ferozes adversários.

O combate em Oeiras some e segue. Paulo Vistas deu uma conferência de imprensa à horas dos telejornais.

O presidente recandidato independente à câmara de Oeiras afirmou que o juiz que chumbou a candidatura de Isaltino, Nuno Tomás Cardoso, foi do PSD e admitiu que é mesmo seu padrinho de casamento.

Aliás, segundo acrescentou, ele e Isaltino conhecem Nuno Tomás Cardoso "do mesmo sítio": ele "militou no PSD".

Admitindo que em 2004/2005, Nuno Tomás Cardoso foi secretário da secção do PSD de Oeiras a que ele então presidia, Vistas acrescentou que nessa mesma estrutura 'laranja' Isaltino Morais era o presidente da assembleia de militantes. "Convivemos com ele, trabalhamos com ele."

Para o antigo delfim de Isaltino, e agora seu adversário, da relação que tem com o magistrado não se pode é concluir que tenha influenciado a decisão de Nuno Tomás Cardoso. "Não confirmo que esse facto [a amizade entre os dois] tenha pesado na decisão."

Paulo Vistas desmentiu ainda que a mulher do magistrado trabalhe para os Serviços Intermunicipalizados de Água e Saneamento de Oeiras e da Amadora (SIMAS). Trabalha isso sim "para uma empresa que trabalha" para esses serviços.

No entender do atual presidente da câmara, Isaltino está a procurar acima de tudo "condicionar o tribunal" na decisão que este vai ter de tomar sobre a reclamação que entretanto entrará. E isso - diz - "é inadmissível".

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub