Teresa Leal Coelho será candidata do PSD a Lisboa

Teresa Leal Coelho foi a número dois lista PSD/CDS/MPT candidata a Lisboa em 2013.

Passos Coelho não confirma formalmente a escolha, mas disse que considera ter feito "uma boa escolha"

Teresa Leal Coelho deverá ser a candidata do PSD à Câmara Municipal de Lisboa, noticiou a SIC Notícias. O nome da candidata já terá sido comunicado à distrital do partido, segundo a mesma fonte.

Trata-se de uma escolha pessoal do presidente do partido, Pedro Passos Coelho, de quem Teresa Leal Coelho é uma das dirigentes mais próximas. O DN tentou, em vão, contactar Teresa Leal Coelho.

Esta manhã, sem confirmar formalmente que a vice-presidente do partido será a candidata, Passos Coelho admitiu que já deu a indicação do nome do escolhido e disse que considera ter feito "uma boa escolha". No entanto, remeteu esse anúncio para a distrital da capital, este fim de semana.

"Eu julgo que será uma boa escolha e que permitirá ao PSD ter uma afirmação em Lisboa de acordo com aquilo que é a nossa tradição, ter um projeto para a capital e poder mobilizar as pessoas, não apenas para uma campanha, mas para um mandato que nós gostaríamos que fosse muito diferente daquele que tem existido até aqui", afirmou, em declarações aos jornalistas durante uma visita à Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), vincando que o objetivo do partido na capital é o mesmo que para o país, "ganhar".

Sobre o 'timing' do anúncio, o líder do PSD disse que não será ele a fazê-lo, mas a distrital de Lisboa do partido, que reunirá durante o fim de semana.

Questionado diretamente sobre Teresa Leal Coelho, o nome que tem sido apontado como a hipótese mais forte dentro do partido, Passos Coelho respondeu: "É um assunto que tenho vindo a seguir de há algum tempo a esta parte, é uma matéria que reuniu já da minha parte uma indicação e uma decisão, mas compete aos órgãos próprios do PSD tomarem a decisão adequada e do ponto de vista público anunciarem".

Interrogado se o objetivo do PSD em Lisboa é ficar à frente de Assunção Cristas, Passos Coelho disse que a meta "é ganhar as eleições autárquicas" e ganhar em todas as câmaras onde concorre.

"Esse é um objetivo de um grande partido - pode conseguir ou pode não conseguir, mas jogamos sempre para ganhar", disse.

Sobre a candidatura de Assunção Cristas, Passo Coelho reiterou que "o CDS não é um adversário direto do PSD" e admitiu a possibilidade de um acordo pós-eleitoral.

"Ela com certeza estará a candidatar-se pensando que pode ganhar Lisboa, nós faremos exatamente o mesmo e, se depois pudermos juntar esforços para que a câmara possa ser governada, excelente, melhor ainda", afirmou.

Hoje de manhã, o coordenador autárquico do partido, Carlos Carreiras, confirmou aos jornalistas que o candidato para Lisboa está já escolhido, mas recusou-se a comentar qualquer nome.

Em 2013, a deputada Teresa Leal Coelho foi número dois de uma lista PSD/CDS/MPT candidata ao executivo lisboeta, lista essa encabeçada por Fernando Reboredo Seara, ex-presidente da câmara de Sintra.

Foi eleita vereadora, mantendo-se desde então nessa função, mas sem pelouros (só os eleitos pelo PS os têm).

Caso se confirme a escolha, o elenco dos candidatos à maior autarquia do país ficará completo: Fernando Medina (pelo PS), Assunção Cristas (CDS), João Ferreira (CDU) e Ricardo Robles (BE).

Em 2013, com António Costa a encabeçar a lista, o PS manteve a presidência da CML, obtendo 50,9% dos votos e conquistando na vereação uma maioria clara (11 dos 17 eleitos). A coligação PSD/CDS/MPT ficou-se pelos 22,3% (quatro eleitos) e a CDU pelos 9,8% (dois vereadores eleitos, com João Ferreira, agora de novo recandidato, liderando a lista). O Bloco de Esquerda não elegeu ninguém para a vereação.

Votaram cerca de 228 mil eleitores, ascendendo a abstenção a quase 55%. Em 2015, António Costa deixou a presidência da câmara para ser candidato a primeiro-ministro e passou a pasta a Fernando Medina.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub