Mértola na lista de candidatos a Património Mundial é "momento histórico"

A Câmara Municipal candidatou-se para preservar o património e atrair novos visitantes

A Câmara Municipal de Mértola considerou hoje um "momento histórico" e um "marco para o futuro" a inclusão da vila alentejana na nova Lista Indicativa de Portugal à classificação de Património Mundial pela UNESCO.

A inclusão pela Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) da vila na lista, que foi divulgada na segunda-feira e inclui 22 bens, é "um momento histórico para Mértola", no distrito de Beja, refere o município, num comunicado enviado hoje à agência Lusa.

Isto porque, "por um lado, o reconhecimento, a par de mais 21 bens nacionais", como a Baixa Pombalina de Lisboa, os Caminhos Portugueses de Peregrinação a Santiago de Compostela ou as Lavadas da Madeira, "consolida em definitivo a importância e o reconhecimento do património de Mértola e, por outro lado, é mais uma etapa ganha no processo de candidatura do bem "Mértola` a Património Mundial", explica a autarquia.

Desta forma, indica o município, a Comissão Nacional, que é a entidade responsável pelo acompanhamento em Portugal da Convenção da UNESCO para a Proteção do Património Mundial, Cultural e Natural, "coloca Mértola no mapa mundial dos bens com condições para aceder à classificação de Património Mundial".

"Será com o foco neste objetivo que autarquia e as comissões executivas e científicas para a candidatura de Mértola a Património Mundial continuarão o trabalho desenvolvido até ao momento", refere o município.

Segundo a autarquia, "o esforço de salvaguarda e valorização do património e a expectativa de gerar novos fluxos de visitantes" levou a câmara municipal a iniciar, em 2015, a candidatura de Mértola à classificação de Património da Humanidade pela UNESCO.

A Comissão Nacional da UNESCO anunciou ter ficado concluído na segunda-feira o processo de atualização da Lista Indicativa de Portugal a Património Mundial, a qual inclui 22 bens e é um "pré-requisito indispensável" para candidatura de bens a Património Mundial.

O processo, conduzido pela Comissão Nacional da UNESCO, tinha começado em finais de 2013 para atualização da anterior lista que datava de 2004 e decorreu da recomendação da UNESCO de que as listas indicativas dos Estados parte na Convenção do Património Mundial sejam atualizadas a cada 10 anos.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular