Livro com revelações da vida sexual de políticos apresentado por Passos

A política vista pelo buraco da fechadura. José António Saraiva revela conversas privadas com 42 personalidades públicas

Pedro Passos Coelho mantém-se firme na intenção de apresentar o próximo livro do jornalista José António Saraiva - ex-diretor dos semanários Expresso e Sol - apesar de entretanto já ter percebido que contém revelações sobre a vida íntima de políticos, muitas das quais atribuídas a personalidades que já morreram, e baseadas em conversas privadas.

Eu e os Políticos - assim se intitula o livro, editado pela Gradiva, e que o líder do PSD apresentará no próximo dia 26, no centro comercial El Corte Inglés, em Lisboa. "O Dr. Pedro Passos Coelho aceitou o convite mesmo antes de ler o livro. Este convite foi aceite tendo em conta a admiração que o Dr. Pedro Passos Coelho tem pela carreira e pelo papel que o arquiteto José António Saraiva desempenhou e desempenha no jornalismo português." É este o conteúdo da nota enviada ao DN por um assessor de imprensa de Pedro Passos Coelho depois de o DN o ter questionado sobre se não se sentia "desconfortável" com o teor da obra e o facto de José António Saraiva contar várias histórias que lhe foram contadas em privado, muitas delas de conteúdo sexual.

O tom voyeur do livro é assumido no grafismo da capa: várias fotografias de políticos portugueses e sobre elas um desenho simbolizando um buraco de uma fechadura. Eu e os Políticos - O Que não Pude (ou não Quis) Escrever até hoje é o título da obra - e na capa surge também, sob a forma de carimbo, a expressão "o livro proibido".

A capa do livro de Saraiva

O livro está dividido em vários pequenos capítulos, cada um subordinado a uma personalidade da vida pública (a esmagadora políticos, mas também, por exemplo, os banqueiros António Horta Osório e Jorge Jardim Gonçalves) com quem Saraiva se relacionou ao longo da sua longa vida de jornalista (23 anos como diretor do Expresso e oito como diretor do semanário Sol). Por lá passam histórias sobre as conversas que o jornalista teve com todos os ex-presidentes da República vivos (Eanes, Soares, Sampaio e Cavaco), sobre o atual Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, sobre o atual primeiro-ministro, António Costa, e alguns dos seus antecessores (Durão, Santana e Sócrates), sobre os irmãos Paulo e Miguel Portas, o líder histórico do PCP Álvaro Cunhal e muitas outras personalidades, todas de primeira linha na vida pública portuguesa.

Saraiva parece revelar uma obsessão com pormenores da vida íntima e conta histórias que lhe contaram não só envolvendo as personalidades em causa como também terceiras figuras.

Atribuiu a um político (já falecido) a informação de que outro político (ainda vivo) é homossexual, fala na "paixoneta" da mulher de um político por outro político (atribuindo essa informação ao que terá sido alvo dessa "paixoneta"), cita ex-líderes partidários a pronunciar-se de forma desprimorosa ou mesmo insultuosa sobre outros líderes partidários (e todos do mesmo partido). Conta que uma jornalista conseguia obter muitos exclusivos junto de alguns políticos porque tinha "uma arte muito feminina de se insinuar", concluindo, sobre a mesma jornalista, que "já Mata Hari tirava partido de ser mulher...."

Saraiva parece revelar uma obsessão com pormenores da vida íntima e conta histórias que lhe contaram não só envolvendo as personalidades em causa como também terceiras figuras

"Revelações duras"

No epílogo, Saraiva escreve que se está a retirar de cargos executivos no jornalismo e por isso sentiu "a necessidade de partilhar com interessados" as suas "vivências". "Seria porventura egoísmo guardá-las só para mim", afirma. E conclui: "Um livro deste tipo só tem sentido se o autor se dispuser a contar tudo o que ouviu dos seus interlocutores e relatar tudo a que assistiu e que julgue ter interesse público." "Assim, como o leitor reparou, há no texto revelações duras e outras que roçam a violação da privacidade. Mas, insisto, é o preço a pagar por uma iniciativa como esta. Só guardei para mim aqueles segredos cujo interesse público, em meu entender, não mereceria os danos que a sua divulgação poderia causar."

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular