"Esse lugar não é seu", dizem (d)Eficientes Indignados a Marcelo

Momento foi transmitido pela SIC

Movimento enviou esta terça-feira uma carta a aberta a criticar o novo Presidente da República por ter estacionado o carro num lugar reservado a deficientes. Momento foi transmitido pela SIC

"Apesar de ser professor catedrático há mais de 30 anos, hoje vemo-nos obrigados a dar-lhe uma aula subordinada ao tema 'cidadania e civismo'. Só o fazemos porque, no primeiro dia após a sua eleição, mostrou uma forte carência de conhecimentos nesse domínio. Grave para qualquer cidadão. Inqualificável para um futuro Presidente da República", escreve, na carta aberta, o movimento cívico fundado em 2012.

No texto, partilhado com a comunicação social e intitulado Carta Aberta a Marcelo Rebelo de Sousa - Esse Estacionamento Não é Seu, o movimento lembra que "existem pessoas que por acidente ou doença se encontram fortemente limitadas na sua mobilidade" e que, "devido ao reconhecimento dessa mesma realidade, foram criadas leis (...) para atenuar as dificuldades e e desvantagens que estas pessoas sentem diariamente".

"Agora, tire apontamentos, é importante, sairá na frequência: segundo o art. 50.º do Código de Estrada relativo à proibição de estacionamento, o Professor terá de pagar uma coima de 60 a 300 euros. É proibido estacionar sem dístico nos lugares reservados para pessoas com mobilidade reduzida. E mais (não pouse já a caneta): o art. 82.º do Código da Estrada prevê relativamente à ausência de utilização de dispositivos de segurança uma coima de 120 a 600 euros. Pois é, até chegar ao estacionamento reservado, conduziu sem cinto", interpelam os (d)Eficientes Indignados.

Os autores, que iniciam a missiva dando os parabéns ao novo Presidente da República pela sua eleição, terminam definindo como "trabalho de casa" a "exigência do pagamento das devidas multas". "Não dispensamos ainda um pedido de desculpas a todos os portugueses, em particular àqueles que vivem com diversidade funcional. Acreditamos que tenha sido um dia mau. Ainda temos esperança de um dia lhe darmos uma nota excelente", remata o movimento.

O momento aconteceu quando, ao ser acompanhado pela SIC no seu primeiro dia depois de ter sido eleito, Marcelo Rebelo de Sousa estacionou o carro perto de um café em Caxias.

Leia a carta completa:

CARTA ABERTA - ESSE ESTACIONAMENTO NÃO É SEU

Exmo Professor Marcelo Rebelo de Sousa,

Antes de mais, damos-lhe os parabéns pelo extraordinário momento que vive na sua vida. Foi eleito Presidente da República Portuguesa. Será, a partir de dia 9 de Março, a cara, a voz e o punho de um povo com cerca de 900 anos de história. Deve estar radiante e não é para menos. Nós, não estamos nada radiantes, e não é para menos também.

Apesar de ser professor catedrático há mais de 30 anos, hoje vemo-nos obrigados a dar-lhe uma aula subordinada ao tema "cidadania e civismo". Só o fazemos porque no primeiro dia após a sua eleição, mostrou uma forte carência de conhecimentos nesse domínio. Grave para qualquer cidadão. Inqualificável para um futuro Presidente da República.

Entenda, por favor, que existem pessoas que por acidente ou doença se encontram fortemente limitadas na sua mobilidade. Devido ao reconhecimento dessa mesma realidade, foram criadas leis (veja bem como isto não deveria ser novidade para si) para atenuar as dificuldades e desvantagens que estas pessoas sentem diariamente. Agora tire apontamentos, é importante, sairá na frequência: segundo o art. 50º do Código da Estrada relativo à proibição de estacionamento, o Professor terá de pagar uma coima de 60 a 300 euros. É proibido estacionar sem dístico nos lugares reservados para pessoas com mobilidade reduzida. E mais (não pouse já a caneta): o art. 82º do código da estrada prevê relativamente à ausência de utilização de dispositivos de segurança uma coima de 120 a 600. Pois é, até chegar ao estacionamento reservado, conduziu sem cinto.

Hoje, ficamos por aqui. Já falamos de questões importantíssimas! Como trabalho de casa fica a exigência do pagamento das devidas multas, sendo que não dispensamos ainda um pedido de desculpas a todos os portugueses, em particular àqueles que vivem com diversidade funcional. Acreditamos que tenho sido um mau dia. Ainda temos esperança de um dia lhe darmos uma nota excelente.

Movimento (d)Eficientes Indignados

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular