Assunção Cristas preocupada com aumento da dívida na Saúde

Líder do CDS visitou

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, demonstrou hoje preocupação com o aumento da dívida de "27 milhões de euros por mês" registada no setor da saúde e pede ao Governo para enfrentar os números.

"É importante que não se faça crescer a dívida, é importante que não se esconda a dívida e, infelizmente, o Partido Socialista tem alguma tendência para esse tipo de práticas", disse Assunção Cristas durante uma visita ao Hospital de Santa Maria, em Lisboa, acrescentando que os prazos de pagamento aos fornecedores não devem aumentar.

Para a líder do CDS-PP, "uma dívida de 324 milhões por ano", no setor da saúde significa que o "caminho" feito pelo anterior Governo (PSD/CDS-PP) não está a ter seguimento porque, frisou, a dívida, "de repente" está a aumentar.

"Naquilo que vemos no Observatório das Dívidas Hospitalares é que, no último ano, nos hospitais EPE houve um crescimento de 27 milhões de euros de dívida por mês. É muito e não nos mostra bom caminho por parte deste governo e gera a nossa preocupação", disse referindo-se também à situação que encontrou no Hospital de Santa Maria.

"Aquilo que vamos percebendo pelas notícias e pelos dados objetivos que têm saído é que, neste setor [saúde], havia uma preocupação de contenção naquilo que eram dívidas muito grandes e que continuam a penalizar o Hospital de Santa Maria, num 'stock' que tem vindo a ser corrigido mas que ainda precisa de ser corrigido", sublinhou.

Para Cristas, "ao que parece", no Hospital de Santa Maria a tendência "está contida" mas afirma que há ainda dívida anterior para resolver.

O CDS-PP vai efetuar visitas a dez unidades hospitalares em todo o país, tendo começado hoje em Lisboa, com uma reunião com a administração do Hospital de Santa Maria.

Cristas referiu-se também ao impacto da política das 35 horas de trabalho semanal que, segundo a líder do CDS-PP, tem levado a um esforço suplementar de muitas equipas, a nível nacional.

"Por um lado temos a prestação do serviço aos utentes e, por outro lado, a solidez e a sustentabilidade financeira daquilo que são as várias realidades no país", disse recordando que o partido identificou a área da saúde como questão "importante e crítica" e que obriga a um acompanhamento constante.

Por iniciativa do CDS-PP, o ministro da Saúde vai estar presente brevemente no parlamento para um debate genérico sobre o setor.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular