90 mil alunos estreiam em maio prova de aferição de educação física

Inédito. É a primeira vez, a nível europeu, que todos os alunos de um ano letivo são chamados a realizar um teste desta natureza

Cerca de 90 mil alunos do 2.º ano vão prestar provas das suas competências físico-motoras, entre os dias 2 e 9 de maio. Um acontecimento inédito, que gera entusiasmo nas associações de professores da área mas que implicará, para as escolas, uma logística invulgar para uma prova de aferição.

"É a primeira vez, a nível europeu, que se faz uma prova nacional de Educação Física", confirmou ao DN Avelino Azevedo, presidente do Conselho Nacional de Associações de Professores e Profissionais de Educação Física, revelando que estes testes estão a gerar curiosidade até do outro lado da fronteira, da parte do Colégio Espanhol de Educação Física. "Já se realizaram provas a nível de regiões, nomeadamente em França, mas nunca em todo um país".

Além de mobilizar "cerca de 90 mil alunos e 4000 professores", a prova implica uma extensa lista de material, já divulgada no site do Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), onde se incluem bancos suecos, bolas de diferentes formas e materiais, cordas de saltar, arcos, bastões, cones de sinalização, lenços e coletes". Além disso, terá de ser montado nas escolas um circuito com várias estações, para os diferentes exercícios.

A confederação diz estar a acompanhar os preparativos "com uma postura de cooperação", quer com o IAVE quer com as escolas - tendo já reunido com algumas dezenas de diretores. Mas admite que nem tudo corra na perfeição, que em termos de recursos, quer ao nível do treino de alguns alunos. O que até considera poder ter aspetos positivos: "para nós, este é um momento também para se aferir as situações anómalas e corrigi-las", disse.

Contactados pelo DN, Manuel António Pereira e Filinto Lima, presidentes das duas associações nacionais de diretores escolares, consideraram que, com maiores ou menores dificuldades, as escolas conseguirão organizar as provas.

Mas este último admitiu que algumas escolas enfrentam constrangimentos, nomeadamente ao nível do material, que deverão se resolvidos "recorrendo à ajuda das autarquias e juntas de freguesia e transportando materiais da escola sede para as do 1.º ciclo".

Além da componente desportiva, os alunos farão provas de expressões a Artes Visuais e Música.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub