Banda polaca de "death metal" acusada de sequestro e violação

A banda Decapitated

Os membros dos Decapitated foram detidos após as autoridades terem recebido queixas de uma mulher que afirmava ter sido retida contra a sua vontade e violada no autocarro da banda

A banda de death metal polaca Decapitated foi acusada de sequestro e violação em grupo durante a digressão que está a fazer nos EUA.

Os quatro membros da banda foram detidos em Los Angeles, Califórnia, após as autoridades terem recebido queixas de uma mulher que afirmava ter sido detida contra a sua vontade e violada no autocarro da banda, após um concerto em Spokane, Washington, a 31 de agosto.

De acordo com o Independent, a mulher afirmou, na queixa presente a tribunal, que foi convidada, em conjunto com uma amiga, para tomar bebidas com a banda no autocarro, após o concerto, e que Michael Lysejko, o baterista, apalpou-a, deixando-a desconfortável.

A mulher alegou ainda que foi seguida para a casa de banho do autocarro e violada por cada um dos membros da banda. Depois da violação, a foi deixada no exterior do autocarro, tendo contactado as autoridades.

O Departamento da polícia de Spokane adiantou que, quando foram buscar a mulher, esta apresentava "contusões significativas nos braços", bem como "pequenas abrasões no punho", consistentes com as afirmações de que durante a violação, cravara o punho na parede para se distrair do que estava a acontecer.

A amiga terá ficado ferida após ter sido empurrada para o chão por Rafal Piotrowski, o vocalista, por ter recusado sexo oral. A rapariga saiu do autocarro e conduziu até ser interrompida pela polícia, por suspeita de condução sob influência de álcool.

A banda, composta por Michael Lysejko, Waclaw Kieltyka, Rafal Piotrowski e Hubert Wiecek, deixou Spokane após o alegado incidente, tendo sido detida em Los Angeles.

Quando as autoridades mostraram fotografias das raparigas a Lysejko, este recusou-se a falar sem um tradutor e recusou fazer comentários, dizendo apenas que não sabia quem eram as duas mulheres.

O baterista adiantou ainda que Piotrowski e Wiecek envolveram-se em atos sexuais com uma das mulheres, sendo esta afirmação apoiada por Kieltyka, o guitarrista principal.

Por outro lado, Piotrowski e Wiecek declararam que não estavam no autocarro e não tinham a certeza sobre o que realmente acontecera, recusando-se a falar sem a presença de um tradutor.

Steve Graham, o advogado da banda, afirmou que os acusados irão "combater as alegações que são impostas contra eles, estando plenamente confiantes de que o outro lado desta história será ouvido".

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Pessoas
Pub
Pub