Vaticano: capa do Charlie Hebdo desrespeita todas as religiões

Edição especial do Charlie Hebdo chegou hoje às bancas

O Osservatore Romano criticou o jornal satírico francês por, na edição especial, representar deus de espingarda na mão e vestes ensanguentadas.

O jornal do Vaticano considerou "terrível" e uma falta de respeito a capa da edição especial do Charlie Hebdo, que hoje chegou às bancas e assinala um ano do ataque contra o jornal satírico francês que a 7 de janeiro de 2015 fez 12 mortos, vários deles ilustradores.

Na capa pode ver-se um deus de barbas e vestes ensanguentadas com uma espingarda às costas e a frase: "Um ano depois o assassino continua em fuga". Uma imagem que o Osservatore Romano diz desrespeitar os fiéis de todas as religiões.

"Sob a bandeira de um secularismo sem compromissos, o semanário francês volta a esquecer o que os líderes religiosos de todas as fés há muito pedem: a rejeição da violência em nome da religião e que usar Deus para justificar o ódio é uma verdadeira blasfémia", escreve o jornal do Vaticano num breve comentário.

Há um ano, dois extremistas islâmicos armados entraram na redação do Charlie Hebdo e dispararam sobre os que estavam na reunião de editores. No dia seguinte, um outro homem atacou uma mercearia judaica, fazendo reféns. No dia 9, matou quatro antes de se suicidar. A polícia francesa acabou por abater os dois atiradores do Charlie Hebdo que se tinham posto em fuga.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub