Hofer reconhece derrota da extrema-direita nas presidenciais austríacas

Alexander Van der Bellen venceu o candidato da extrema-direita, Norbert Hofer

O candidato independente ligado aos Verdes, Alexander Van der Bellen, conseguiu 53,3% dos votos, derrotando o candidato da extrema-direita, Norbert Hofer, que teve 46,7%. Os valores vão ao encontro das primeiras projeções da empresa SORA, para a televisão pública ORF, que davam 53,6% para Van der Bellen e 46,4% para Hofer.

A participação foi de 74,1%. Desde o primeiro momento percebeu-se que Van der Bellen estava a ter um desempenho ligeiramente superior em várias localidades ao que tinha tido nas primeiras eleições - invalidadas por uma série de irregularidades.

Quando os resultados ainda não eram oficiais, já Hofer admitia a derrota no Twitter e no Facebook, felicitando Van der Bellen.

"Queridos amigos. Agradeço-vos. Deram-me tanto apoio e estou muito triste por não ter resultado", escreveu. "Felicitei Van der Bellen pelo seu sucesso", acrescentou, defendendo que todos os austríacos devem manter-se unidos e a trabalhar juntos. "Somos todos austríacos, independentemente de como votámos", indicou.

As eleições presidenciais na Áustria decorrem mais de sete meses depois da primeira votação, num processo longo e acidentado que exasperou os austríacos. As eleições então ganhas por Van der Bellen, por uma margem estreita, foram invalidadas pela justiça austríaca perante uma série de irregularidades na recontagem dos votos, que, no entanto, não afetavam o resultado nem implicavam manipulações.

A confirmar-se a vitória de Van der Bellen isso será motivo para satisfação na Europa, que temia a vitória de Hofer. Apesar de o cargo ser principalmente cerimonial, mas Hofer fez campanha numa plataforma anti-imigração, defendendo um eventual referendo para a Áustria sair da União Europeia (ao estilo do brexit).

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub