Mulheres detidas por andar de bicicleta obrigadas a jurar nunca mais fazê-lo

Governo de Hassan Rouhani tem estrangulado liberdades das mulheres iranianas

As autoridades iranianas detiveram um grupo de mulheres que estavam a andar de bicicleta, forçando-as a assinar documentos em que juram nunca mais repetir a "violação".

O ciclismo feminino é há muito um centro de grande controvérsia no Irão. O novo governo tem, contudo, intensificado a discussão, banindo, expressamente, o ato em causa.

Em maio, haviam já surgido os primeiros indícios oficiais do aumento da repressão, tornando-se proibido às mulheres andar de bicicleta em passeios públicos. A partir dessa altura, os parques exclusivamente para mulheres tornaram-se nos únicos locais onde tal prática era possível. Ainda assim, os castigos associados ao "ciclismo ilegal" ainda não são conhecidos: as autoridades aplicam, portanto, as leis ligadas ao vestuário e à companhia de homens não familiares para perturbar estas mulheres.

As mulheres detidas estavam a planear participar num evento de ciclismo em Marivan, mas agora não o poderão fazer.

Farideh Karimi, uma ativista do Conselho Nacional da Resistência do Irão, acusa, por isso, a administração de Hassan Rouhani de ter promovido a escalada do estrangulamento da liberdade das mulheres, cita o The Independent.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub