Fugitivo envia 'selfie' à polícia porque fotografia usada não o favorecia

Homem enviou uma "selfie" à polícia porque não gostou da fotografia usada na publicação em que dizia que ele era procurado

O norte-americano Donald Pugh, conhecido como Chip, enviou uma "selfie" à polícia porque não gostou da fotografia que esta usou na publicação no Facebook em que informava que ele estava a ser procurado.

O departamento policial de Lima, em Ohio, publicou uma fotografia do tipo passe de Donald Pugh com um pedido para que quem soubesse do seu paradeiro avisasse as autoridades, pois havia um mandado de captura em seu nome por ter faltado a uma sessão no tribunal.

Donald Pugh não gostou da fotografia utilizada e enviou uma nova. Na mensagem dizia: "Aqui está uma fotografia melhor. Aquela é terrível". Na nova imagem vê-se o homem de 45 anos de fato e com óculos de sol sentado no lugar do condutor de um carro.

A polícia publicou a nova fotografia e não se esqueceu de "lhe agradecer por ser prestativo". Pediu, no entanto, que fosse ao departamento policial para "falar sobre as acusações". Segundo a polícia de Lima, Donald Pugh é ainda procurado por ser uma "pessoa de interesse" em casos de incêndio criminoso e vandalismo.

Segundo o Washington Post , Donald Pugh foi entrevistado pela rádio local 104.9 Eagle pela ousadia que teve ao enviar a "selfie" e justificou-se dizendo que a fotografia da polícia não o favorecia nada. "Eles puseram uma fotografia em que eu parecia um Thundercat ou algo parecido", explicou Chip Pugh, referindo-se aos desenhos animados infantis.

Os locutores da rádio, Phil Austin e Ryan Staley, perguntaram várias vezes onde Donald se encontrava e ele respondeu sempre de maneira diferente. Primeiro disse que estava "no meio da praça da cidade com um cartaz que dizia 'inocente'", mas depois estava "sentado num bunker ao lado de El Chapo a construir um túnel para o McDonalds".

O caso está a ser muito comentado nas redes sociais e até foi criada uma página no Facebook a pedir a libertação de Donald Pugh, apesar de este não estar detido, e a brincar com as autoridades policiais de Lima. Numa das imagens vê-se um dos agentes da polícia a explicar que não tem ideia de onde Donald está, apenas sabe que ele está algures no Facebook.

Donald Pugh desvalorizou as acusações que recaem sobre ele. Afirma que foi preso por condução sob o efeito de álcool em novembro e "simplesmente" decidiu "não ir" à sessão do tribunal. "Os jornais de Lima agem como se eu tivesse incendiado a casa de alguém", explicou Donald, que admitiu que se divertiu com a publicação no Facebook. "Eu fi-lo por todos os meus amigos idiotas", contou.

Últimas notícias

Mais popular