Bélgica anuncia cursos de "respeito às mulheres" para refugiados

Incidentes na noite de ano novo têm gerado grande polémica, sobretudo na Alemanha

A informação foi avançada pelo secretário de Estado para o Asilo e Imigração belga Theo Francken

Aulas de "respeito às mulheres" serão dirigidas a todos os refugiados. O modelo, que já é aplicado na Noruega, irá ser introduzido nas próximas semanas, na Bélgica. Theo Francken diz que, com a cooperação do Ministério do Interior belga, foi criado um grupo de trabalho para planear novas medidas de prevenção para eventuais incidentes dentro dos centro de acolhimento e afirma que as medidas são "absolutamente necessárias, dado o elevado número de jovens que chegam à Bélgica de uma cultura onde as relações com as mulheres são completamente diferentes do Ocidente"

O anúncio do secretário de Estado para o Asilo e a Imigração surge dias depois do ataque na noite de ano novo em Colónia (na Alemanha). Mais de uma centena de mulheres denunciaram ter sido vítimas de ataques sexuais por parte de um grupo de homens, aparentemente do norte de África ou de países árabes.

Num questionário colocado no site do jornal belga La Libre, ao qual responderam até meio da tarde de hoje 4500 pessoas, 65,4% dos internautas concorda com a implementação destas aulas de "respeito às mulheres" nos centros de acolhimento destinados aos refugiados. 29,1% discorda e 5,5% não têm opinião sobre o assunto.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular