"Trump acabou comigo", disse a humorista Kathy Griffin a chorar

Comediante diz estar a ser vítima de bullying por parte da família Trump e que "isto nunca aconteceria a um homem"

A comediante Kathy Griffin, que chocou os Estados Unidos ao publicar uma fotografia tirada com o que parecia ser a cabeça de Donald Trump decepada e ensanguentada, deu uma conferência de imprensa esta sexta-feira visivelmente emocionada. "Acho que não vou voltar a ter uma carreira depois disto. Vou ser honesta, ele acabou comigo", admitiu a humorista, referindo-se ao presidente.

Griffin chorou várias vezes em frente às câmaras e afirmou que não vai deixar de gozar com Donald Trump e que "isto nunca aconteceria a um homem". "Vamos deixar-nos de tretas, isto é uma questão de ser mulher", afirmou, acrescentado que comediantes masculinos não seriam tão mal tratados como ela está a ser.

"Toda a gente se virou contra mim e eu só queria fazer as pessoas rirem", afirmou a comediante, realçando que ela já pediu desculpas pela fotografia e que não sabia que a imagem seria tão mal aceite pelo público.

"O que me está a acontecer nunca aconteceu antes. O atual presidente dos Estados Unidos e os seus filhos adultos e a primeira-dama estão pessoalmente a tentar destruir a minha vida para sempre", disse a comediante.

"Eu pedi desculpas porque era a coisa certa a ser feita e depois vi a corrente a mudar. Vi que eles estavam a tentar mudar tudo, a usar o Barron [o filho mais novo de Trump]", disse Kathy emocionada. "Eu nunca iria querer magoar ninguém, quanto mais uma criança".

No dia a seguir à polémica fotografia ter sido publicada, o site TMZ avançou que Barron Trump, de 11 anos, achou que a imagem era real e ficou em choque. Desde então as críticas a Griffin nas redes sociais multiplicaram-se.

O atual presidente dos Estados Unidos e os seus filhos adultos e a primeira-dama estão pessoalmente a tentar destruir a minha vida para sempre

A inspiração para a fotografia foi uma declaração de Trump feita durante a campanha presidencial, como explicou Lisa Bloom, a advogada de Griffin. Nessa altura, Donald Trump disse que uma jornalista que o tinha acusado de machismo "tinha sangue a sair dos olhos" e de todo o sítio.

Lisa Bloom disse que a fotografia foi uma paródia exagerada das declarações machistas de Trump na altura.

No início da conferência, Lisa Bloom, a advogada de Griffin, disse que a comediante estava ser vítima de bullying por parte da família Trump.

"O presidente fez uma pausa da sua agenda ocupada de publicar no Twitter incansavelmente palavras sem sentido para atacar a sua sátira e chamá-la doente", disse Bloom. "Melania Trump que se tem mantido em silêncio sobre os esforços do marido para retirar os serviços de saúde a 24 milhões de americanos [...] escolheu quebrar o seu silêncio e pessoalmente questionar a saúde mental de Kathy"

"Donald Trump Jr. parou temporariamente de matar leopardos e elefantes" para convencer a CNN a despedir Kathy e a "bani-la da estação televisiva onde ela trabalhou durante 10 anos", continuou Bloom.

"A mensagem é clara. Se criticares o presidente perdes o emprego", concluiu a advogada, que revelou que Kathy foi interpelada pelos serviços secretos e recebeu ameaças de morte.

Ele meteu-se com a ruiva errada

Griffin diz estar a ser atacada por uma "mentalidade de grupo" e que era um "alvo fácil", segundo o LA Times. "Eu sou o objeto brilhante para que ninguém fale da investigação do FBI", continuou.

Ainda assim, a comediante diz não ter medo do presidente. "Vou gozar mais com ele agora", afirmou. "Ele meteu-se com a ruiva errada".

Kathy Griffin foi despedida da CNN devido à polémica fotografia.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Media
Pub
Pub