Timor-Leste/Eleições:Civismo da população e comportamento dos líderes dá tranquilidade-PM

O primeiro-ministro timorense afirmou hoje que o comportamento dos líderes políticos e o grande sentido cívico da população está a permitir que a campanha para as legislativas de 22 de julho decorra em tranquilidade e sem incidentes.

"O que mais me impressionou foi o sentido cívico da população. Vamos às zonas rurais e vemos uma fileira de casas com bandeiras intercaladas de vários partidos e as pessoas aceitam essa diversidade de opções políticas", disse à Lusa Rui Maria de Araújo.

As campanhas dos vários partidos estão a decorrer "com dignidade" e as forças candidatas estão a ter a "oportunidade de apresentar os seus programas" e, embora alguns "usem linguagem mais forte, menos forte, a tónica geral dos partidos é de tentar esclarecer ao máximo a população sobre os seus programas e o que pretendem fazer se ganharem a eleições".

Rui Araújo, que falava à Lusa à margem de uma visita que efetuou com o Presidente timorense ao quartel-general das Forças de Defesa (F-FDTL) em Díli, disse que para o Governo "é motivo de orgulho" que "tanto os políticos como os cidadãos, como as forças de defesa e segurança estejam a comportar-se de forma magnífica".

Em termos gerais e apesar de pequenas situações pontuais, os órgãos de administração eleitoral, Comissão Nacional de Eleições (CNE) e Secretariado Técnico de Assistência Eleitoral (STAE) estão ajudar a garantir que tudo decorre dentro do regulamentado.

Tem havido apenas "pequenas violações das regras", como os partidos irem além das horas estipuladas no horário da campanha, mas "nada de maior", disse o chefe do Governo.

"Essa capacidade de observação e monitorização ser descentralizada nos municípios ajuda bastante a que tudo funcione de forma magnífica", explicou.

A campanha para as legislativas de 22 de julho, a que se apresentam 21 forças políticas, começou a 20 de junho e decorre até 19 deste mês.

Os 764.858 eleitores timorenses recenseados para o voto terão a oportunidade de eleger os próximos 65 membros do Parlamento Nacional.

As autoridades eleitorais timorenses vão instalar 1.121 assembleias de voto em 859 centros de votação, dos quais pelo menos sete vão funcionar no estrangeiro, na Austrália, Coreia do Sul, Portugal e Reino Unido.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub