Ordem dos Biólogos defende lei de bases para património natural e biodiversidade

A Ordem dos Biólogos defendeu hoje a criação de uma lei de bases do património natural e da biodiversidade, considerando que permitirá realizar os objetivos da proposta de estratégia para as áreas protegidas atualmente em discussão pública.

Essa lei será "uma base coerente para a gestão e ordenamento integrados do território", acabando com as atuais "indefinições e interpretações dúbias", considerou a ordem num documento divulgado após um dia de discussão sobre a Estratégia Nacional para a Conservação da Natureza e Biodiversidade.

A Ordem, que subscreve o parecer do Conselho Nacional para o Ambiente e Desenvolvimento Sustentável também conhecido hoje, considera que a existência de uma lei dedicada permitirá melhorar o estado de conservação dos habitats e espécies, levará a sociedade a assumir a importância dos valores naturais e reconhecerá o valor do património natural das áreas protegidas, que representam cerca de 8% do território.

As espécies e habitats, o património geológico, o ordenamento do território e a educação e ensino são alguns dos eixos fundamentais que os biólogos portugueses identificam na proposta de Estratégia, que estará em discussão pública até final de setembro.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub