Hospital de S. João com nova ala pediátrica concluída em 2020

A pediatria do Centro Hospitalar de São João, no Porto, que funciona desde 2011 em contentores, deverá ter novas instalações a funcionar em 2020, afirmou hoje à Lusa o presidente da administração daquela unidade hospitalar.

Segundo António Oliveira e Silva, o memorando de entendimento hoje assinado entre a Administração Central do Sistema de Saúde, Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) e o São João prevê a edificação e apetrechamento do Centro Pediátrico Integrado (CPI) num prazo estimado de três anos.

O CPI será construído no local onde a Associação Joãozinho tinha iniciado a edificação da nova ala pediátrica, financiada por fundos privados que foi, entretanto, suspensa.

O presidente da administração do São João referiu que o centro hospitalar "está em negociações com a Associação Joãozinho" para a reversão da titularidade da obra, que atualmente pertence à associação.

"Há um objetivo comum, que é a construção" do CPI, disse, esperando que este processo fique em breve concluído.

A empreitada, cujo arranque "está previsto para outubro ou novembro", está orçada em mais de 20 milhões de euros e vai permitir criar, além de uma zona de internamento, "blocos, unidade de cuidados intensivos, uma unidade funcional de queimados", entre outras valências, disse.

Segundo o responsável, a ideia é ter um serviço de pediatria "muito direcionado para o doente agudo e grave".

António Oliveira e Silva destacou a importância desta obra "para as crianças", uma vez que "permite ao centro hospitalar cumprir a sua missão", dando uma resposta aos doentes, o que até agora tem sido feito "com dificuldade".

O memorando de entendimento refere que o projeto tem por princípios orientadores "a prestação de cuidados pediátricos de elevada qualidade e diferenciação técnica", bem como "a aposta no incremento da ambulatorização de cuidados" e, entre outros, "a promoção da viabilidade e sustentabilidade do projeto, mediante obtenção de economias de escala, centralização e rentabilização de recursos".

A ARS-N anunciou no dia 19 de janeiro que o Ministério da Saúde tinha aprovado a construção da nova ala pediátrica do Centro Hospitalar de São João.

Em comunicado, a ARS-N afirmou que o plano que o conselho de administração do Centro Hospitalar de São João apresentou à tutela, "para além de contemplar a instalação definitiva do internamento pediátrico em instalações condignas, vai igualmente permitir que, na mesma ala, sejam desenvolvidas áreas complementares ao Centro Materno-Infantil do Norte (CMIN)".

"Serviço de Urgência Pediátrico Metropolitano, Trauma e Doente Crítico Pediátrico e Neonatal, Unidade de Queimados, Cardiologia Pediátrica (incluindo cirurgia cardíaca), Doenças Hereditárias do Metabolismo e Centro de Referência Nacional de Oncologia (em articulação com o Instituto Português de Oncologia do Porto)", são as áreas complementares que serão desenvolvidas na nova ala, acrescentava então a ARS-N.

O projeto "Joãozinho" nasceu em 2009 e em março de 2015 foi lançada a primeira pedra da obra pelo então primeiro-ministro, Passos Coelho. O projeto só avançou após nove meses com a demolição de instalações junto à Urgência Pediátrica, mas a obra voltou a parar pouco tempo depois.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

Pub
Pub