Teodora Cardoso: "Sair do défice excessivo e entrar no ano seguinte seria péssimo"

"Estas projeções não incluem eventuais intervenções no sector financeiro pode ter impacto na saída dos défices excessivos", diz Teodora Cardoso.

O défice orçamental deste ano deverá ficar em 1,7% do Produto Interno Bruto (PIB), em linha com os 1,6% previsto pelo governo no Orçamento, dizem as novas projeções do Conselho das Finanças Públicas (CFP), divulgadas nesta sexta-feira. No entanto, Teodora Cardoso, a presidente desta entidade, tem dúvidas sobre o ajustamento estrutural até 2021 e avisa que nada garante, hoje, a 100% que Portugal não viola de novo o limite de 3% do défice. Aliás: "sair do défice excessivo e entrar no ano seguinte seria péssimo", avisa.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Dinheiro
Pub
Pub