Banco Efisa recebeu 90 milhões de euros do Estado

Governo de Passos vendeu Efisa a sociedade da qual faz parte Miguel Relvas

Aumentos de capital serviram para amortizar créditos concedidos pelo BPN, que o BIC rejeitou no acordo de compra

O Estado injetou 90 milhões de euros no banco Efisa. Segundo o Correio da Manhã (CM), o montante corresponde a cinco aumentos de capital realizados pela Parparticipadas, sociedade estatal criada em 2010 para gerir 13 sociedades que pertenciam ao BPN, nacionalizado em 2008.

A primeira injeção de 34,5 milhões de euros aconteceu em 2014. O despachado assinado pela então secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, dava cumprimento ao acordo quadro celebrado com o banco angolano BIC, quando este comprou o BPN em 2011, por 40 milhões de euros. O dinheiro do Estado serviu para eliminar duas linhas de financiamento concedidas pelo BPN ao Efisa, que foram consideradas tóxicas pelo BIC.

Em 2015, continua o CM foram realizados mais três aumentos de capital: um de 15 milhões e dois de 12.5 milhões. Este ano, já foram injetados mais 12.5 milhões. Entretanto, o Efisa foi vendido por 38,5 milhões de euros à Pivot SGPS, uma sociedade de capitais portugueses e angolanos da qual faz parte o ex-ministro do PSD Miguel Relvas.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular