Anna Botha. A superavozinha que criou um recordista

Van Niekerk bateu o recorde dos 400 metros de Michael Johnson, que comentava em direto. Treinadora do atleta tem 74 anos

Esperava Usain Bolt pela corrida que lhe daria mais um ouro nos 100 metros quando o seu aquecimento foi interrompido. O jamaicano limitou-se então a olhar para o ecrã com a boca aberta de espanto.

É que naquele momento era feito maias um pedaço de história no Rio de Janeiro: o recorde de Michael Johnson nos 400 metros, já com 17 anos, era batido por um jovem sul-africano de 24 anos, cuja treinadora tem mais 50 primaveras do que ele e já quatro netos.

Wayde van Niekerk foi o autor da proeza e é já uma das figuras maiores do Rio2016. E do mundo do atletismo. O sul-africano completou a volta à pista em 43.03 segundos, contra os 43.18 de Johnson conseguidos em 1999 e que não se esperava ver batidos no Brasil.

E mais, Niekerk conseguiu-o na pista oito, normalmente a que todos querem evitar, sem quaisquer referências de onde poderiam estar os adversários.

Michael Johnson, a comentar a prova para a BBC, estava chocado. "Oh meu deus! Da pista oito, um recorde do mundo", afirmou o norte-americano.

Mas Johnson já sabia do valor de van Niekerk antes de ver o seu recorde passar a ser apenas a segunda melhor marca de sempre. "Quando olhei para ele [van Niekerk] este ano, vi um rapaz que tem talento nos 100, 200 e 400 metros", acrescentou.

Os números confirmam as afirmações de Johnson, pois Niekerk é o primeiro homem a correr os 100 metros em menos de dez segundos, os 200 metros em menos de 20 e os 400 em menos de 44.

O lendário atleta norte-americano pensa inclusivamente que o novo recorde dos 400 metros pode ajudar o sul-africano a "emergir como a grande estrela do atletismo". Isto quando tudo indica que Usain Bolt será atleta olímpico pela última vez no Rio de Janeiro.

Um dos segredos do sucesso de Wayde van Niekerk é a sua treinadora... de 74 anos. Anna Botha, que começou a trabalhar com o atleta a seguir ao último ciclo olímpico, quando este foi estudar para a universidade em Bloemfontein, na África do Sul.

"Nunca se é demasiado velho para aprender", é o lema da treinadora que tem na disciplina um dos seus principais trunfos. "Podemos rir, mas quando temos que trabalhar duro, trabalhamos duro", afirma Botha. Tannie Ans, como é chamada de forma carinhosa pelos seus atletas, começou a carreira a orientar a própria filha, Herma, no seu país natal, a Namíbia, ainda nos anos 1960. Cedo ficou com vários atletas sob a sua alçada e ao mudar-se para Bloemfontein, nos anos 1980, a sua carreira foi ficando cada vez mais forte. "Sou feliz porque não tenho problemas de saúde e estou ocupada com gente jovem", diz Tannie Ans.

Sobre o seu pupilo mais reconhecido, recorda que em 2013 planeou com os pais dele as suas "metas e ideais", algo de que o sul-africano tirou agora o máximo proveito. Van Niekerk admite que o papel de Botha foi importantíssimo."Estou muito agradecido por poder ir para a pista e dizer que a minha treinadora me motivou o suficiente para chegar a este nível e a creditar que tudo é possível. É uma mulher fantástica e é muito importante naquilo que eu sou hoje", diz o novo recordista dos 400 metros, que deixou até Usain Bolt de boca aberta.

O sul-africano, que até já treinou com o astro jamaicano, disse após o recorde de ontem que "adoraria defrontá-lo [Bolt] nos 200 metros". Mas esse é um duelo que já não deverá ter lugar. Pelo menos na história dos Jogos.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Desporto
Pub
Pub