Inquérito no Convento de Cristo por danos e suspeita de roubo

Foi neste claustro que a equipa do realizador Terry Gilliam fez uma fogueira com 20 metros de altura

A Direção-Geral do Património Cultural vai investigar as denúncias de danos e suspeitas de desvio de dinheiro no monumento de Tomar, classificado património mundial da Unesco

"Na sequência de algumas situações e acontecimentos tornados públicos ontem [sexta-feira] sobre o Convento de Cristo, em Tomar, a DGPC informa que vai abrir um inquérito para apurar a sua veracidade", declarou a Direção-Geral do Património Cultural, liderada por Paula Silva, em resposta às denúncias de danos e suspeita de roubo nas bilheteiras, que vieram a público numa reportagem do programa Sexta às Nove.

A peça refere que a passagem de três semanas da equipa de filmagens, do realizador britânico Terry Gilliam, em abril, resultou em danos para o monumento nacional, património mundial da UNESCO.

Pedras danificadas ou partidas, árvores cortadas pela raiz e telhas partidas são os danos visíveis, segundo a reportagem emitida na sexta-feira pela RTP. Acrescentam que foi feita uma fogueira com 20 metros de altura. A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), liderada por Paula Silva, confirma, numa resposta conjunta com a diretora do monumento, Andreia Galvão, que "alguns eventos podem incluir artes de pirotecnia em locais considerados apropriados, desde que devidamente acompanhados por profissionais credenciados, por bombeiros e proteção civil", e dá como exemplo as filmagens de Terry Gilliam. Estas situações são acompanhadas de um seguro, que será acionado neste caso. "Houve quebra de quatro fragmentos pétreos e seis telhas partidas".

Ministro será questionado

O deputado social-democrata Sérgio Azevedo confirmou ao DN que ia estudar a reportagem e que o assunto fará parte do conjunto de perguntas que vão fazer a Luís Filipe Castro Mendes na audiência parlamentar de terça-feira, às 15.00. "Vamos questioná-lo sobre isso e sobre o ICA [demissão da direção], sobre o apoio às artes", declara. "O ministro não tem respondido a um conjunto de solicitações que têm sido pedidas", queixa-se o parlamentar. Na agenda da audiência está, também, a recente vandalização de pinturas rupestres do Coa, por requerimento do PCP. Os comunistas não responderam até ao fecho de edição se pretendem incluir o Convento de Cristo na lista de perguntas.

Mas, à esquerda, o Bloco fez já um requerimento para ouvir o ministro da Cultura confirma o deputado Jorge Campos. "Queremos conhecer o protocolo celebrado entre o produtor [a Ukbar Filmes] e a tutela", afirma o deputado, referindo-se à DGPC. "Queremos saber se não foram tomadas as medidas necessárias num monumento classificado e classificado pela UNESCO".

O socialista Pedro Delgado Alves, que também faz parte da Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, diz que "é normal que haja perguntas sobre o tema". No momento em que falou com o DN ainda não tinha visto a reportagem. Teresa Caeiro, do CDS, esteve incontactável.

A mesma reportagem levanta suspeitas de roubo na bilheteira do Convento de Tomar, a partir das declarações de funcionários e ex-funcionários da casa. Nenhum deles quis dar a cara, mas afirmam que os bilhetes não são controlados. Segundo o programa Sexta às Nove, já chegaram denúncias ao Ministério Público.

Sobre este tema, a DGPC garante que as entradas são controladas por vigilantes e câmara de vigilância. O organismo afirma que nunca se registaram denúncias, incidentes ou suspensões no monumento dos templários aos quais D. Afonso Henriques deu um território entre Santarém e Coimbra, onde viriam a fundar o castelo e a vila de Tomar. O Convento de Cristo registou 295 808 entradas em 2016.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular