250 eventos no Folio para quem apanhar o comboio literário

A programação da segunda edição do festival literário Folio vai levar V.S. Naipul e Salman Rushdie a Óbidos entre duas centenas e meia de autores.

A segunda edição do Folio vai facilitar a vida aos leitores nas deslocações à Vila Literária de Óbidos ao proporcionar a ida e volta todos os dias num comboio especialmente organizado em colaboração com a empresa CP. Segundo o organizador do Festival Internacional Literário de Óbidos, José Pinho, na primeira edição era complicado para os visitantes interessados assistir a grande parte da programação noturna devido ao regresso a Lisboa: "Iam de carro até Óbidos, mas o regresso complicava-se devido ao cansaço - entre outras razões. Portanto, com a garantia de poderem ir e vir sem preocupações fica tudo mais fácil."

A iniciativa inédita em festivais literários já é receita habitual na CP no que respeita a outros festivais, os de música. Quanto ao Folio, os horários já estão definidos: partida às 10.30 da estação do Rossio, regresso às 00.30 de Óbidos. Quem fizer a viagem deste modo terá de pagar bilhete (10 euros ida e volta), mas terá direito a escutar leituras de poesia e de outros textos literários durante o percurso. A agenda do comboio literário não ficará apenas por leituras, pois logo na madrugada do dia 24 quem vier de regresso a Lisboa pode adquirir o mais recente volume da saga Harry Potter, lançado 30 minutos antes na versão em língua portuguesa.

Outra das razões para este comboio literário passar a existir reside no interesse da organização em aumentar o número de visitantes nesta segunda edição. Segundo a análise dos números da primeira edição do Folio, entraram em Óbidos durante os dez dias do evento cerca de trinta mil pessoas, tendo sido considerado que metade dessas presenças teriam como destino assistir às várias iniciativas. Desta vez, a organização do festival pretende obter um aumento nas visitas, situação que só é considerada possível com este tipo de iniciativas, que facilitam a vida a quem pretende estar em Óbidos entre os dias 22 de setembro e o primeiro domingo de outubro.

Em oposição, o orçamento do Folio deverá diminuir entre 30% e 40% em relação à edição inicial: "Conseguimos parceiros mais proativos que colaboraram com alguns trocos." Ou seja, dos 600 mil euros que terá sido o custo anterior, José Pinho pretende ficar abaixo de meio milhão. "E fazer melhor", garante. Para o responsável, o aumento do interesse na Vila Literária e no Folio pode ser comprovado pelas vendas realizadas nas onze livrarias que detém em Óbidos: "Durante o Folio houve um crescimento de vendas em torno de 25%." Revela que desta vez o apelo das livrarias ainda será maior para quem visita Óbidos: "Os leitores vão ter mais três livrarias abertas ao público, que serão temáticas: uma com livros de viagens, aventura, natureza e turismo; outra na Casa dos Bons Malandros, versada em poesia e erotismo, e outra com fundo de catálogo." Um quarto espaço livreiro poderá ainda surgir nos próximos dias, trata-se de um bookiniste (alfarrabista) de Estrasburgo, que quer vir viver e estabelecer-se em Portugal."

José Pinho acrescenta que o comboio literário não será a única novidade em relação aos atrativos da segunda edição do Folio. A oferta de propostas nas cinco áreas do evento literário vai aumentar: "Em 2015, estiveram 456 autores no Folio e neste ano irá crescer para mais de quinhentas presenças. E, por mim, ainda seria um número bem maior. Queria que viessem a Óbidos todos os autores nacionais durante o festival." Dá como exemplo dessa presença mais maciça de autores os "26 poetas da nova geração" que estarão no festival. Não se pode ignorar também a presença internacional do Nobel V.S. Naipul e de Salman Rushdie.

A organização da programação do Folio está sob responsabilidade de um variado quinteto de curadores, que começaram a executar a sua tarefa para 2016 mal a primeira edição terminou. Ao escritor José Eduardo Agualusa está atribuído o Folio Autores; à editora, livreira, autora e ilustradora Mafalda Milhões, o Folio Ilustra; ao sócio fundador da Ler Devagar José Pinho, o Folio Mais; à autora e jornalista Anabela Mota Ribeiro, o Folio Folia; e à professora, bibliotecária e formadora Maria José Vitorino, o Folio Educa.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular