Vacina contra a covid pode levar à extinção do caranguejo-ferradura

O sangue azul destes animais é usado para testar se um medicamento ou uma vacina é perigosa. E com centenas a serem testadas, a espécie pode estar em perigo, alertam ativistas.

É chamado de "fóssil vivo" e uma das armas da indústria farmacêutica. O límulo, também conhecido por caranguejo-ferradura, é um artrópode quelicerado, que não tem sistema imunitário e consegue ficar um ano sem se alimentar. Manteve as mesmas características ao longo do tempo e o seu sangue azul é usado para testar vacinas - serve como teste para saber se as componentes da vacina são perigosas.

É uma técnica simples e confiável e para que os cientistas possam extrair parte do seu sangue, estes caranguejos não têm de morrer - depois de extraído, o sangue é congelado e desidratado e enviado para os laboratórios e centros de investigação.

Também será usado para testar se as potenciais vacinas contra a covid-19 são seguras. E isso está a deixar os ativistas dos direitos dos animais alarmados.

Nem todos sobrevivem à retirada do sangue para ser usado na indústria

Todos os anos, milhares de caranguejos-ferradura são capturados e levados para laboratórios nos EUA, onde parte do sangue é removido através de uma veia próxima do coração. Depois, são devolvidos à natureza.

Ninguém sabe o impacto desse procedimento para a espécie. No início, acreditava-se que todos os caranguejos sobreviviam à experiência, mas nos últimos anos estima-se que até 30% deles tenham morrido em consequência da retirada de parte do seu sangue.

"Atualmente é retirado sangue de meio milhão de caranguejos", diz Barbara Brummer à BBC,. Ela é a responsável por uma equipa de preservação da natureza no estado de Nova Jersey - onde muitos destes caranguejos são capturados.

Os caranguejos-ferradura norte-americanos estão agora perto de serem oficialmente reconhecidos como uma espécie em extinção.

Recentemente foi criada uma alternativa sintética ao sangue azul usado pelos cientistas, mas, no mês passado, foi revelado que esta alternativa pode não funcionar tão bem.

A recomendação é para que seja usado o sangue de caranguejo-ferradura também nos testes às potenciais vacinas contra a covid-19.

Brummer revelou que existem "pelo menos 30 empresas a trabalhar numa potencial vacina" e "todas elas precisam passar por esse teste. O que deixa em perigo toda a população dos caranguejos-ferradura, " uma parte essencial do sistema ecológico", frisou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG