Escola Básica D. António da Costa visita o Media Lab DN

Nesta sexta-feira, os alunos do 8º ano da Escola Básica D. António da Costa conheceram as instalações do Diário de Notícias, nas Torres de Lisboa.

Os 66 estudantes assistiram a um vídeo informativo e educativo sobre a história e influência do DN no contexto sócio-cultural dos media portugueses, ficando a conhecer as novidades introduzidas em Portugal pelo jornal, como a profissão do ardina e a volta a Portugal de bicicleta. De seguida, deu-se uma formação sobre os princípios básicos de jornalismo, como o que é um lead, a composição de uma redação, a seleção noticiosa e os perigos presentes no uso da internet (cyberbullying, hackers, anúncios falsos e também, as fake news).

E pondo mãos à obra, os alunos divididos em grupos, fizeram as suas primeiras páginas de um jornal. Obtiveram a sua informação na versão online do Diário de Notícias, tendo que escolher títulos e escrever notícias. Quando acabaram as suas primeiras páginas, estas foram impressas e entregues aos "mini-jornalistas". Para a aluna Cátia Vila Verde foi "divertido" poder "viver a experiência de um jornalista", e até pondera que esta seja, um dia, a sua futura profissão, por "poder relatar e dar a informar os acontecimentos às pessoas".

Depois de já terem bases sobre as várias profissões de um jornal e o que é necessário para se ser jornalista, percorreram a redação do Diário de Notícias, ficando a saber a distribuição dos jornalistas por filas de editorias e o trabalho do secretariado, por exemplo. Conheceram também a redação do Dinheiro Vivo, jornal de economia que sai ao domingo com o DN.

O Media Lab é um projeto educativo para promover a literacia mediática com vista a formar cidadãos ativos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...