Geóglifos que representam pessoas, animais e outros seres descobertos no Peru

Equipa de investigadores do Japão descobrem geóglifos que podem ser datados do ano 100 aC e 300 dC no Pampa de Nazca.

Ao todo foram encontrados 142 novos geóglifos, que representam pessoas, animais e outros seres, nas famosas linhas que atravessam a superfície do Pampa de Nazca, no Peru, e só se conseguem ver na totalidade do ar.

Localizados principalmente no oeste dos Pampas de Nazca, estes novos geóglifos foram identificados através de um trabalho de campo e de análise de dados 3D de alta resolução, entre outras atividades realizadas até 2018.

Estes geóglifos biomórficos podem datar pelo menos do ano 100 aC 300 dC. A equipa de investigadores, liderada pelo professor Masato Sakai, do Departamento de Antropologia Cultural e Arqueologia Andina, da Universidade Yamagata, no Japão, fez um estudo de viabilidade, de 2018 ao início de 2019, e descobriu um novo geóglifo através de um modelo de inteligência artificial.

Segundo explica o responsável pela equipa, este estudo explorou a viabilidade do potencial da inteligência artificial para descobrir novas linhas e introduziu a capacidade de processar grandes volumes de dados com essa tecnologia, incluindo fotos aéreas de alta resolução e em alta velocidade.

O professor Sakai e outros pesquisadores da Universidade Yamagata começaram esta investigação em 2004 para estudar as Linhas de Nazca, um Património Mundial da UNESCO. Além de identificar com sucesso muitos geóglifos, o professor Sakai e outros realizaram atividades para preservar esse património.

No entanto, ainda há muito trabalho a ser feito para estudar a distribuição desses geóglifos. Além disso, a expansão das áreas urbanas trouxe danos às linhas, chamando a atenção para a proteção das Linhas de Nazca como um problema social.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG