China torna-se o segundo país a colocar uma bandeira na lua

Mais de 50 anos depois de Buzz Aldrin e Neil Armstrong terem fixado uma bandeira dos EUA no solo lunar, a China aproveitou a missão da sonda Chang'e-5 para se tornar no segundo país com uma bandeira na Lua

Fotos divulgadas da Administração Espacial Nacional chinesa mostram a bandeira vermelha com cinco estrelas douradas fixada na superfície lunar.

As imagens foram registadas por uma câmara da sonda espacial Chang'e-5, antes de deixar a Lua com amostras de rochas lunares, na quinta-feira (3).

Duas missões lunares chinesas anteriores tinham já levado bandeiras nas suas viagens, mas apenas no revestimento das naves, sem que nenhuma delas pudesse, portanto, ser afixada na Lua.

A primeira bandeira colocada na superfície lunar reporta à histórica missão tripulada norte-americana Apollo 11, em 1969, quando Neil Armstrong e Buzz Aldrin deram esse "pequeno passo para o homem, mas um gigante salto para a humanidade", tornando-se os primeiros homens a pisar a Lua.

Então, a missão norte-americana hasteou a Stars and Stripes (Estrelas e Riscas) - como é conhecida a bandeira dos EUA - na superfície lunar, numa imagem que se tornou icónica da exploração espacial.

Bandeira "pioneira" essa que foi cosida pela portuguesa Maria Isilda Ribeiro, que vivia em Nova Jérsia e ajudou a costurar a bandeira norte-americana que se acredita ter sido deixada na Lua, há quase 50 anos. "A minha chefe disse-me para findar a bandeira, que eles queriam levá-la à lua", contou ao DN, em julho do ano passado.


Desde então, outras cinco bandeiras dos Estados Unidos foram plantadas na superfície lunar em missões subsequentes até 1972.

Em 2012, a Nasa citou imagens de satélite para garantir que cinco das bandeiras ainda estavam de pé, embora vários especialistas acreditem que elas tenham já perdido as cores devido ao brilho do sol.

A bandeira original (a que a portuguesa Maria Isilda ajudou a coser) foi, segundo o astronauta Buzz Aldrin, colocada muito perto da nave Apollo e, de acordo com Aldrin, terá provavelmente incendiado quando a nave descolou.

Sonda foi recolher amostras do solo lunar

O jornal estatal Global Times descreveu que este ato de hastear a bandeira chinesa na superfíce lunar permitia reviver a "emoção e inspiração" sentidas durante as missões Apollo dos EUA.

A bandeira de tecido foi desfraldada pela sonda Chang'e-5, que recolheu amostras de solo e rocha para trazer para Terra pela primeira vez desde a missão de uma sonda soviética à Lua, na década de 1970.

A sonda chinesa deve regressar à região da Mongólia Interior, no norte da China, no final deste mês.

Na terça-feira, a sonda pousou com sucesso na área ao norte de Mons Rümker, no Oceanus Procellarum, uma área não visitada até agora por astronautas ou missões espaciais não tripuladas.

Quanto à bandeira chinesa agora deixada na Lua, tem 2 metros de largura e 90 centímetros de altura e pesa cerca de um quilo. Todas as partes da bandeira foram concebidas de modo a resistirem a muito baixas temperaturas, disse o líder do projeto, Li Yunfeng, ao Global Times.

"Uma bandeira nacional comum na Terra não sobreviveria ao severo ambiente lunar", disse o um outro responsável chinês pelo projeto, Cheng Chang.

A missão Chang'e-5 é a terceira alunagem bem-sucedida da China em sete anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG