Ucranianos unem-se para apoiar conterrâneos e protestam em Lisboa, Porto e Faro

A comunidade ucraniana em Portugal prepara protestos contra a intervenção russa na Ucrânia em Lisboa, Porto e Faro. Ao mesmo tempo, organiza uma linha de apoio para quem precisa de sair do país

Os ucranianos residentes em Portugal assistiram durante a noite desta segunda-feira à intervenção militar da Rússia na Ucrânia e estão a organizar-se para lutar contra a situação. Em Lisboa, às 18:30, vão protestar junto à Embaixada da Rússia, manifestações que também terão lugar no Porto e em Faro, onde são muitos os residentes da comunidade.

A informação foi prestada ao DN pelo presidente da Associação de Ucranianos em Portugal, Pavlo Sadokha.

"Em primeiro lugar, vamos juntar as pessoas para protestar, para pedir apoio e, também, para organizar as comunicações entre a comunidade de ucranianos em Portugal e na Ucrânia, Precisamos de perceber do que necessitam a nível de logística", sublinha Pavlo Sadokha.

A manifestação de protesto em Lisboa está a ser convocada para o fim da tarde desta quinta-feira, mas já está manhã, os ucranianos se concentraram em frente ao consulado da Ucrânia no Porto. Estão "contra a guerra e pela paz".

Toda a informação sobre a situação, pedidos de apoio, e o envolvimento de Portugal no apoio ao repatriamento será concentrada na página da associação spilka.pt. Numa primeira fase, pretendem ajudar os familiares de imigrantes, mas o objetivo é que a ajuda se estenda a outros ucranianos.

"Estamos a começar a organizar a logística das pessoas que precisam de sair da Ucrânia, o que terá de ser feito por via terrestre uma vez que o espaço aéreo está fechado à aviação civil. Temos amigos na Polónia, país que nos está a dar todo o apoio, e será através da Polónia que vamos organizar a saída. Estamos a falar de familiares, os nossos pais e crianças que estão mais desprotegidos e que nos contactaram, mas vamos dar apoio à generalidade da população ucraniana". Esperam o apoio das entidades portuguesas.

O primeiro-ministro anunciou que Portugal está preparado para a retirada de ucranianos do país e a seu acolhimento em Portugal. "São bem-vindos", bem como os "seus familiares e amigos".

"Portugueses e luso-ucranianos que vivem na Ucrânia, uns já vieram para Portugal e 102 estão identificados. Temos previsto um plano de evacuação que passa pelo recurso a países vizinhos", informou António Costa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG