Pandemia volta a crescer em Portugal. Lisboa e Vale do Tejo está com Rt de 1,11

O número de novos casos de infeção por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias foi de 53 casos, com uma tendência ligeiramente crescente a nível nacional

A pandemia está a crescer novamente em Portugal, revelam as conclusões do mais recente relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Ricardo Jorge (INSA) com a monitorização das linhas vermelhas para a covid-19.

O número de novos casos de infeção por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias foi de 53 casos, com uma tendência ligeiramente crescente a nível nacional.

A mesma tendência é seguida pelo valor do Rt, que apresenta valores superiores a 1 a nível nacional (1,03) e na região de Lisboa e Vale do Tejo (1,11). "A manter esta taxa de crescimento, o tempo para atingir a taxa de incidência de acumulada a 14 dias de 120 casos por 100 mil habitantes, será de 61 a 120 dias e 31 a 60 dias, respetivamente, para o nível nacional e Lisboa e Vale do Tejo", refere o documento.

No entanto, o número diário de casos de covid-19 em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) no continente revelou uma tendência ligeiramente decrescente, correspondendo a 24% do valor crítico definido de 245 camas ocupadas.

Paralelamente, a proporção de testes positivos foi de 1,2%, valor que se mantém abaixo do objetivo definido de 4%. No entanto, observou-se um decréscimo do número de testes para deteção de SARS-CoV-2 realizados nos últimos sete dias.

A estimativa do INSA e da DGS revela que a variante britânica tem uma prevalência de casos de 91,2% em Portugal, tendo ainda sido detetados 88 casos da variante sul-africana, 115 da variante brasileira e dez da variante indiana.

No entender das duas entidades, é recomendado que o aumento dos valores do índice de transmissibilidade seja "acompanhado com atenção durante a próxima semana pois pode sinalizar o início de um período de crescimento da epidemia".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG