Prisão preventiva para dois homens suspeitos da morte de jovem em Loures

Os dois homens, de 19 e 29 anos, são suspeitos do homicídio de um jovem na via pública com recurso a uma arma de fogo.

Dois homens, de 19 e 29 anos, foram detidos pelo homicídio de um jovem em Loures, com uso de arma de fogo, em fevereiro, em contexto de violência juvenil entre grupos da Grande Lisboa, encontrando-se já em prisão preventiva.

A Polícia Judiciária (PJ) avançou esta terça-feira, em comunicado, que em colaboração com as autoridades policiais e judiciárias da Suíça e de França, num quadro de cooperação internacional, procederam "à localização, detenção e extradição para território nacional de dois homens, ambos portugueses".

De acordo com a nota, os homens estão "fortemente indiciados pela prática, em coautoria com outros cinco arguidos" já detidos em junho, do crime de homicídio qualificado, ocorrido na via pública na noite de 19 de fevereiro.

Os factos, de acordo com a PJ, ocorreram na sequência de "conflitualidade intergrupal mantida entre dois grupos de jovens" oriundos das zonas do Lumiar (concelho de Lisboa) e de Fetais (Loures, distrito de Lisboa).

As diligências para encontrar os suspeitos de coautoria do crime levaram à recolha de "vasto e sólido suporte probatório", assim como a obtenção de informação da fuga para a Suíça e França destes dois homens, detidos e extraditados em julho e agosto.

A medida de coação mais gravosa, a prisão preventiva, foi aplicada após primeiro interrogatório judicial.

A Policia Judiciária confirmou em 21 de fevereiro estar a investigar a morte de um jovem de 16 anos ocorrida dois dias antes, à noite, na via pública em Fetais, encontrando-se então os suspeitos em fuga.

De acordo com fonte da PSP, a vítima recebeu "manobras de reanimação no local" e foi transportada para o hospital de Santa Maria, no concelho de Lisboa, onde acabou por morrer.

Testemunhas no local do crime - onde estiveram PSP, bombeiros e Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) - disseram, quando questionadas pelas autoridades, que o jovem "também teria sido esfaqueado", segundo o Cometlis.

O disparo aconteceu cerca das 22:50.

Segundo a edição do Jornal de Notícias (JN) de 21 de fevereiro, o adolescente "foi atingido a tiro por indivíduos que estavam num carro em andamento" e o crime aconteceu no "contexto de guerra de gangues juvenis", numa "escalada de violência que começou nas redes sociais".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG