Portugal tem 36 concelhos com incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes

Segundo os dados revelados esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde, tal como no boletim anterior não existem concelhos em risco muito elevado, ou seja, com incidência a 14 dias superior a 960 casos por 100 mil habitantes.

Portugal tem esta sexta-feira 36 concelhos com incidência do novo coronavírus superior a 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, menos cinco em relação ao boletim anterior divulgado na última sexta-feira.

Segundo os dados revelados esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde, tal como no boletim anterior não existem concelhos em risco muito elevado, ou seja, com incidência a 14 dias superior a 960 casos por 100 mil habitantes.

Em risco elevado de contágio está apenas o município de Arganil (590) que regista incidência acumulada superior a 480 casos por 100 mil habitantes.

Os municípios de Cabeceiras de Basto e Odemira que se encontravam neste grupo há uma semana saíram agora deste patamar.

Dos 36 concelhos, quatro registam um acumulado, nos últimos 14 dias, de mais de 240 casos por cada 100 mil habitantes: Lajes das Flores (273), Lamego (281), Cabeceiras de Basto (378) e Oliveira do Hospital (280).

No anterior boletim, divulgado a 30 de abril, 11 municípios estavam neste patamar.

Um total de 31 concelhos têm valores entre os 120 e os 239,9 casos por 100 mil habitantes.

Com zero casos nos últimos 14 dias são referidos 79 concelhos, mais 18 em relação ao boletim anterior.

A incidência cumulativa a 14 dias do boletim de hoje refere-se aos dias entre 22 de abril e 05 de maio.

Na nota explicativa dos dados por concelhos é referido que a incidência cumulativa "corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada".

Em 11 de março, na apresentação do plano de desconfinamento, o primeiro-ministro, António Costa, avisou que as medidas da reabertura serão revistas sempre que Portugal ultrapasse os "120 novos casos por dia por 100 mil habitantes a 14 dias" ou sempre que o Rt - o número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado pelo vírus - ultrapasse 1.

O índice de transmissibilidade (Rt) do coronavírus SARS-Cov-2 em Portugal voltou hoje a descer, para 0,92, assim como a incidência de casos de infeção por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, que é agora de 57,7.

Os números anteriores destes indicadores, divulgados na quarta-feira, indicavam um Rt de 0,95 e uma incidência de 61,3 casos por 100.000 habitantes.

Medidas para concelhos com maior incidência entraram em vigor esta sexta-feira

As medidas decididas na quinta-feira pelo Governo, que fez recuar Cabeceiras de Basto no processo de desconfinamento e manteve a cerca sanitária em duas freguesias de Odemira, entraram em vigor esta sexta-feira, segundo uma resolução do conselho de ministros.

O Governo decidiu que, devido à incidência de covid-19, Cabeceiras de Basto, no distrito de Braga, recua para a terceira fase de desconfinamento.

Nesta fase já se encontrava o município de Paredes, na Área metropolitana do Porto, que continuará sem avançar no processo de desconfinamento.

Cabeceiras de Basto registou uma incidência superior a 240 casos de covid-19 por 100 mil habitantes, indicou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, na quinta-feira.

Os municípios de Carregal do Sal e de Resende, ambos no distrito de Viseu, continuam na segunda fase do plano de desconfinamento do Governo, sem avançar para a fase seguinte.

Em Odemira, no distrito de Beja, as freguesias de São Teotónio e Longueira-Almograve vão manter-se sob uma cerca sanitária e estão sujeitas às medidas da primeira fase do desconfinamento.

No entanto, apesar da cerca sanitária, Odemira terá, a partir de segunda-feira, "condições específicas de acesso ao trabalho" e para "casos excecionais e de urgência que necessitem de entrar naquele concelho", que baixou o nível de incidência de covid-19 para "pouco mais" de 240 casos por 100.000 habitantes, revelou a ministra na quinta-feira.

Os motivos de exceção à cerca sanitária, "designadamente para efeitos de trabalho", e as respetivas condições "serão definidos por um despacho dos membros do Governo responsáveis pelas áreas da administração interna e da saúde", de acordo com a resolução do conselho de ministros.

O diploma exclui ainda Miranda do Douro, Valongo, Aljezur e Portimão da lista dos concelhos a que se aplicam medidas mais restritivas para conter a covid-19, pelo que estes municípios avançam esta sexta-feira para quarta fase do plano de desconfinamento, onde se encontra a generalidade dos concelhos de Portugal Continental.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG