Portugal continental atinge hoje os 4 milhões de doses de vacinas administradas

Processo de vacinação está a avançar mais rapidamente do que o previsto. Autoagendamento de maiores de 60 anos foi antecipado e logo no primeiro dia foram feitas mais de 40 mil inscrições, que começaram a ser marcadas para a semana.

Hoje é um dos dias D do processo de vacinação contra a covid-19. O continente atinge os 4 milhões de doses administradas. O processo está a acontecer mais rapidamente do que o previsto, confirmou ao DN fonte da task force que coordena a vacinação. E a meta de se vacinar todos os maiores de 60 anos até ao final de maio está mais perto ou pode ser mesmo antecipada.

A task force acredita que tal seja possível de alcançar, mas não avança com datas. "Não podemos avançar com uma data neste momento. Apenas registamos que o processo está a correr mais depressa do que o previsto", reforçou a mesma fonte.

Há dois dias, no domingo, antecipou-se o autoagendamento para a faixa etária dos 60 aos 65 anos, que estava previsto começar durante esta semana. Só no primeiro dia, foram recebidas 40 mil inscrições, algumas ficaram já agendadas para o início da próxima semana, umas a partir do dia 18, outras para dia 20 de maio. Mas desde o dia 23 de abril, em que se lançou este modelo de agendamento, para acelerar ainda mais o processo de vacinação, que se registaram 254 mil pessoas.

Perante o acelerar do processo, o DN questionou a mesma fonte sobre se já haveria uma data para o autoagendamento da faixa etária seguinte, dos 50 aos 59 anos, mas a resposta obtida foi a de que "ainda não há. Neste processo vamos avaliando dia a dia e semana a semana".

Até ontem, ao final da manhã, em Portugal continental tinham sido administradas 3 845 140 doses, permitindo à fonte da task force garantir que hoje se atingirá os 4 milhões, tendo em conta os agendamentos registados.

"No primeiro do auto agendamento dos 60 aos 65 anos inscreveram-se 40 mil pessoas, algumas ficaram já agendadas para os dias 18 e 20 de maio. Mas desde o dia 23 de abril, em que se lançou este modelo de agendamento, registaram-se 254 mil pessoas."

No entanto, pormenoriza a mesma fonte, a nível nacional este número, que é um marco, já foi ultrapassado no fim de semana, quando se contabilizou os dados das ilhas, embora estes tenham data de 4 maio, no que toca à Madeira, e de 6 de maio, em relação aos Açores. "Não temos ainda os números mais mais atuais", explicou.

No total, foram administradas 4 067 540 doses de vacinas, 2 932 008 de primeiras doses e 1 135 532 de segundas doses. Até ao final do segundo trimestre prevê-se que cheguem a Portugal 9 milhões de vacinas, podendo assim atingir-se os 70% da população vacinada.

Mais de um milhão dos 65 aos 79 anos já tem primeira dose

De acordo com o último relatório de vacinação, a faixa etária acima dos 80 anos tem já 82% da população com vacinação completa, 557 002 pessoas, e 93% com a primeira dose, 632 941, pessoas. A faixa etária seguinte, dos 65 aos 79 anos, tem já 71% da população com a primeira dose, 1 137 503 pessoas, 7% com vacinação completa, 117 416. Uma situação que os especialistas dizem estar a ter resultados muito significativos na redução de internamentos e de mortes no país.

Nesta semana, estima-se que o processo continue a avançar a bom ritmo, já que está estimado que as cinco Administrações Regionais de Saúde (Norte, Centro Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve) iniciem a vacinação em massa nos vários postos espalhados pelo país. O objetivo é atingir os 100 mil atos de vacinação por dia. Uma meta que o coordenador da task force, vice-almirante Gouveia e Melo, tem vindo sempre a dizer que é mais do que isto, é uma missão no combate à pandemia provocada pelo SARS-CoV-2.

"Portugal é o país da União Europeia com menos novos casos diários, ontem foram 158.

Quanto mais cedo for possível atingir esta meta diária, mais cedo se alcançará a fase de imunidade de grupo, que, inicialmente, se assumia como sendo possível com 70% da população vacinada, mas que vários especialistas, incluindo portugueses, já começaram a alertar que talvez tenha de ser adaptada. Ou que, defenderam os mesmos, mesmo com 70% da população vacinadas, devem manter-se as regras de proteção individual, porque o vírus "vai continuar entre nós", como referiram ao DN Luís Graça, imunologista especialista em vacinas, e Ana Paula Rodrigues, coordenadora do inquérito serológico nacional.

Neste momento, e de acordo com a avaliação feita pelo site científico ourworldindata, Portugal é o país da União Europeia com menos novos casos diários, ontem foram 158, e menos mortes por milhão de habitantes, nos últimos sete dias.

Neste momento, o país regista 32,29 casos por milhão de habitantes, uma situação que não se compara com o país da UE que hoje vive a pior situação, 499 casos diários, para uma população de quase 900 mil habitantes. Em relação ao número de óbitos, Portugal está a par da Finlândia e um pouco abaixo da Dinamarca, que é o país com média mais baixa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG