PJ faz buscas na Junta de Freguesia de Arroios

Em causa estarão alegados crimes económico-financeiros e usufruto pessoal de bens públicos pela antiga presidente, Margarida Martins.

A Polícia Judiciária está a realizar, esta quarta-feira de manhã, buscas na Junta de Freguesia de Arroios, em Lisboa, confirmou o DN. Em causa estarão, segundo a Sábado, que avançou a notícia, alegados crimes económico-financeiros e usufruto pessoal de bens públicos pela antiga presidente, Margarida Martins.

As buscas estão a ser executadas pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ, no âmbito de uma investigação do DIAP Regional de Lisboa.

Segundo a Renascença, as buscas estarão também a decorrer na casa da antiga autarca lisboeta.

As buscas acontecem depois de a revista Sábado ter publicado uma série de reportagem, ainda antes das eleições autárquicas a 26 de setembro, com alguns factos relativos à gestão de Margarida Martins à frente da Junta de Arroios. Presidente daquela freguesia pelo PS durante dois mandatos (a partir de 2013), a antiga presidente da Abraço acabaria por perder o cargo nas últimas autárquicas para Madalena Natividade da coligação "Novos Tempos".

Numa dessas reportagens, a publicação denunciava o uso alegadamente abusivo da uma viatura da Junta de Freguesia por parte da autarca, bem como o alegado recurso a funcionários em serviço para trabalhos pessoais e ainda o facto de Margarida Martins não pagar muitas das compras feitas no mercado 31 de Janeiro, naquela freguesia, gerido pela Junta.

Os contratos de manutenção dos espaços verdes, um conjunto de assessorias e ainda adjudicações de serviço por ajuste direto foram outros casos desenvolvidos pela publicação acerca da gestão de Margarida Martins na Junta de Arroios.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG