PJ detém suspeito de ter ateado cinco fogos em Valença

O suspeito, um homem de 29 anos, desempregado, terá ateado incêndios "motivado por um sentimento de revolta pela sua inaptidão para o desempenho de funções de bombeiro voluntário", informou a PJ de Braga.

Um homem de 29 anos, desempregado e "revoltado" por não poder exercer funções de bombeiro voluntário, foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) em Valença por suspeita de cinco crimes de incêndio florestal, informou esta sexta-feira aquela força policial.

Segundo comunicado do Departamento de Investigação Criminal da PJ de Braga, o suspeito "terá ateado os incêndios com recurso a chama direta, motivado por um sentimento de revolta pela sua inaptidão para o desempenho de funções de bombeiro voluntário".

"Os incêndios eram ateados sobretudo a altas horas da madrugada e consumiram principalmente vegetação arbustiva e arbórea, não tendo atingido maiores proporções e manchas florestais adjacentes, de dimensões consideráveis, devido à rápida intervenção dos bombeiros", refere a nota da PJ enviada à imprensa.

Segundo a PJ, "um dos incêndios, ocorrido em setembro de 2020, causou danos consideráveis em um pavilhão industrial".

Terá sido responsável por "dezenas de incêndios ocorridos nos últimos anos"

A polícia suspeita que o homem "seja responsável pela autoria de dezenas de incêndios ocorridos nos últimos anos" naquele concelho do distrito de Viana do Castelo.

De acordo com a PJ, os incêndios ocorreram no verão de 2020 e 2021, em freguesias de Valença "com grande dispersão geográfica".

A detenção "do presumível autor de cinco crimes de incêndio florestal" ocorreu na quinta-feira, fora de flagrante delito.

A PJ recolheu "importantes elementos de prova, que conduziram à detenção do indivíduo, o qual será presente à autoridade judiciária competente para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG