Mulher morre com superbactéria que resistiu a todos os antibióticos

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças anunciou agora o caso, que ocorreu no verão passado

Uma mulher do norte do Nevada, Estados Unidos, morreu no ano passado com uma infeção bacteriana resistente aos 26 tipos de antibióticos disponíveis no país, o que é um alerta para a ameaça que as chamadas superbectérias representam para a saúde pública.

O caso remonta ao verão do ano passado, mas só agora foi revelado pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças. "Foi um caso isolado, não representou uma ameaça para a população em geral", justificou Phil Ulibarri, porta-voz do condado de Washoe, onde residia a vítima.

A mulher, com cerca de 70 anos, tinha viajado para a Índia e chegado aos Estados Unidos no início de agosto, tendo sido hospitalizada no dia 18. O primeiro diagnóstico apontava para síndrome de resposta inflamatória sistémica, uma inflamação que afeta todo o organismo. Os exames vieram a mostrar que estava infetada por uma enterobactéria (Klebsiella pneumoniae). Desenvolveu choque sético e morreu em setembro.

Durante todo o período de internamento, a bactéria resistiu aos 26 tipos de antibióticos disponíveis. O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças realça que nos dois anos anteriores a este internamento a doente fora hospitalizada inúmeras vezes na Índia para tratar um fratura do fémur, pelo que é de crer que tenha contraído a bactéria nessa ocasião.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG