704 novos casos e sete mortes nas últimas 24 horas em Portugal

O boletim epidemiológico da DGS deste sábado, revela que há 321 internados, menos 11 do que ontem, dos quais 55 em cuidados intensivos, mais 3 do que ontem.

Mais 704 novos de casos de infeção por SARS CoV-2 e mais sete mortes nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde deste sábado, dia 9. Há ainda a registar 321 doentes internados, 55 em cuidados intensivos.

O boletim volta a assinalar neste sábado uma descida no total de internamentos, menos 11 do que na sexta-feira, embora nas unidades de cuidados intensivos tenham entrado mais três doentes do que ontem.

Neste sábado há ainda a registar uma ligeira descida nos casos ativos, menos 70 do que ontem, havendo agora 29 984, e menos contactos em vigilância, menos 220, sendo o total de 23 431.

Neste momento, Portugal soma 1 074 813 de infetados e 18 034 óbitos, com as regiões de Lisboa e Vale do Tejo e do Norte a serem as que maiores números de casos registam. A primeira com mais 230 casos do que ontem e a segunda com mais 235, cada uma com três mortes, a uma ocorreu no Algarve. As regiões do Centro. Alentejo e Algarve registaram, respetivamente, 112 casos, 59 e 44. Os Açores tiveram mais 13 casos e a Madeira mais 11.

A incidência nacional atinge agora os 86,5 por 100 mil habitantes e a do Continente, 86,7 por 100 mil habitantes. O R (t) é de 0,92 a nível nacional e no continente é de 0,91.

Estes números marcam o dia que a própria diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, classificou como "um dia feliz", já que o Portugal atingiu hoje os 85% da população vacinada contra a covid-19, sendo o primeiro no mundo a consegui-lo.

Graça Freitas agradeceu a todos os que contribuíram para este objetivo, considerando que a superação deste objetivo é "um orgulho" para o país. Uma meta que só foi possível de atingir, disse, graças à colaboração da população, dos profissionais envolvidos na vacinação e da task-force. "A minha primeira palavra de agradecimento vai para estes cidadãos que exerceram o seu direito à proteção da saúde, mas também a sua corresponsabilidade pela saúde de todos", referiu Graça Freitas.

Neste contexto, dedicou também uma palavra especial aos jovens, cuja adesão à vacinação contra a covid-19 foi essencial para que o país conseguisse atingir, cerca de nove meses depois de iniciadas as inoculações, 85% da população com vacinação completa. "Só conseguimos atingir 85% de toda a população com a vacinação completa também graças à vacinação dos jovens. Se não tivéssemos esta adesão, não teríamos conseguido. Os jovens estão a aderir bastante bem e continuamos a contar com eles. Temos a estrutura montada para os vacinar até completarem o seu esquema", precisou.

Os agradecimentos da diretora-geral estenderam-se ainda aos profissionais de saúde, bombeiros, voluntários e entidades que participaram na vacinação, nomeadamente Ministério da Saúde e outros ministérios e autarquias, e à task-force liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo "porque foi preciso um plano e concretizar esse plano para atingir estes resultados".

Entretanto, Portugal começa a vacinar os maiores de 65 anos com a terceira dose já nesta segunda-feira e que já tomaram a vacina da gripe há mais de 14 dias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG