Mais 23 290 novos casos e mais 21 mortes em 24 horas

O boletim diário da Direção-Geral da Saúde dá conta neste sábado, dia 1 de janeiro, que Portugal registou 23 290 novas infeções e 1023 internamentos, dos quais 142 em cuidados intensivos. Neste momento, há mais de 196 223 casos ativos.

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 23 290 novas infeções por covid-19, mais 21 óbitos e 1023 internamentos. Mais três óbitos do que no dia anterior e menos um internado do que no dia anterior. Nos cuidados intensivos estão menos três doentes. Mas, neste momento, há a destacar que existem quase 200 mil casos ativos em todo o país.

De acordo com o boletim diário da DGS, deste sábado, dia 1, há 196 223 casos ativos, mais 17 511 em 24 horas, e 173 314 contactos em vigilância, mais 3755 num só dia. A nível de doentes recuperados, foram identificados mais 5758 nestas 24 horas.

Ao todo, Portugal contabiliza um total de 1 412 936 infetados, 18 976 óbitos e 1 197 737 recuperados. As regiões de Lisboa e Vale do Tejo e do Norte são as que registam maior número de casos. Lisboa e Vale do Tejo somou nas últimas 24 horas um total de 9 549 casos e quatro óbitos, enquanto a do Norte registou 8 587 casos e sete mortes. Nas regiões do Centro, Alentejo e Algarve foram diagnosticados, respetivamente, 2744 casos e seis mortos, 621 casos e uma morte e 628 casos e uma morte.

Nas regiões autónomas, a Ilha da Madeira mantém uma tendência elevada de novos casos, mais 858 em relação ao dia anterior e uma morte, e o Arquipélago dos Açores mais 303 casos e uma morte.

A incidência está em 1182,7 a nível nacional por 100 mil habitantes e em 1188,4 no continente por 100 mil habitantes. O R (t) é de 1,35 no país e 1,36 no continente.

Novo recorde de testagem

Um novo máximo de testes foi atingido no dia 30 de dezembro: 402.756, dos quais resultou uma taxa de positividade de 9,2%. Deste total, 307.698 (76%) foram testes rápidos de antigénio (TRAg) de uso profissional, revela hoje em comunicado o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA).

Estes números não incluem autotestes. Desde o dia 1 de dezembro realizaram-se no País mais de 5 milhões de testes à COVID-19, incluindo cerca de 3,6 milhões de TRAg de uso profissional, um valor que está relacionado com as medidas decorrentes da Resolução do Conselho de Ministros n.º 157/2021, de 27 de novembro, nas quais se inclui a necessidade de apresentação de teste negativo para SARS-CoV-2 no acesso a determinados serviços ou locais, bem como o aumento de pontos de testagem em todo o país.

No que diz respeito à sua tipologia, foram efetuados, até à data, cerca 16,6 milhões de testes RT-PCR e 9,9 milhões de TRAg de uso profissional. Os TRAg de uso profissional efetuados nos laboratórios, farmácias e outras entidades habilitadas, aderentes ao regime excecional de comparticipação, voltaram a ser gratuitos desde 19 de novembro, uma medida que abrange toda a população e que foi reforçada com a possibilidade de cada utente passar a poder realizar até seis testes gratuitos, no mês de dezembro, com vista a intensificar a proteção da saúde pública e o controlo da pandemia covid-19.

Até ao final do mês de janeiro, a comparticipação nestes testes é limitada ao máximo de quatro TRAg de uso profissional, por utente. A reativação do regime excecional e temporário de comparticipação dos TRAg visa contribuir para a deteção e isolamento precoce de casos, prevenir e mitigar o impacto da infeção por SARS-CoV-2 nos serviços de saúde e nas populações vulneráveis, assim como reduzir e controlar a transmissão da infeção por SARS-CoV-2 e monitorizar a evolução epidemiológica da covid-19.

Recorde-se que desde o início da pandemia já foram efetuados em Portugal cerca de 26,5 milhões testes de diagnóstico à covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG