Fundação Champalimaud traz a Lisboa o homem que nos deu a internet global

Conferência 'O Desconhecido, a 100 anos de hoje' decorre a 4 e 5 de dezembro e conta com Prémios Nobel e cientistas de topo

A Fundação Champalimaud vai trazer a Lisboa o fundador da World Wide Web, Tim Berners-Lee. Será ele o key-note - orador principal - da conferência que decorre entre 4 e 5 de dezembro na Fundação liderada por Leonor Beleza. Embora tendo como justificação os dez anos do organismo, a conferência foi construída a olhar para a frente: "O Desconhecido, a 100 anos de hoje " é o título escolhido para o evento (The unknown, 100 years from now, na versão internacional)

Irá focar-se em quatro temas chave: medicina e investigação médica, ferramentas para o futuro, ciência, liberdade, conhecimento e valores. As inscrições já estão abertas aqui e os lugares disponíveis são limitados.

O líder e anfitrião desta conferência é Fernando Henrique Cardoso - antigo presidente brasileiro - já que o evento tem sido organizado entre Portugal e o Brasil.

Os debates vão poder ser acompanhados na internet, via streaming. Leonor Beleza e Fernando Henrique Cardoso convidaram uma mão cheia de prémios Nobel e cientistas de topo, desafiando-os a dar a sua visão do futuro nas áreas que dominam.

Destacam-se, entre os oradores, o já referido Tim Berners-Lee, criador da World Wide Web, Sydney Brenner, Prémio Nobel da Medicina em 2002, António Damásio, professor de Neurociência na University of Southern California, Shirin Ebadi, advogada e ativista dos direitos humanos que recebeu o Nobel da Paz em 2003, Maria Leptin, diretora da European Molecular Biology Organisation, Jorge Sampaio, ex-Presidente da República portuguesa, entre outros.

O jornalista brasileiro Silio Boccanera será o moderador dos vários painéis que juntarão os convidados das mesmas áreas de interesse.

A Fundação Champalimaud, criada por testamento do empresário António de Sommer Champalimaud em 2004, inaugurou a 5 de outubro de 2010 o Centro de Investigação para o Desconhecido, na zona ribeirinha de Lisboa, do qual faz parte o centro clínico que trata, em média, 416 doentes por dia.

Na Fundação, trabalham 240 cientistas de 32 nacionalidades diferentes. Ao longo dos quase seis anos de investigação no centro, a Fundação já captou 23,8 milhões de euros em bolsas e tem cerca de 190 publicações em revistas científicas.

Neste momento, decorrem 90 ensaios clínicos e está prevista a abertura de uma unidade de internamento em fevereiro de 2016.

O programa completo da conferência pode ser consultado aqui.

Leia também a lista completa dos oradores que irão participar no evento ao longo destes dois dias:

Fernando Henrique Cardoso - Ex-Presidente do Brasil

Tim Berners-Lee - Criador da World Wide Web, físico britânico que, em 1990, completou a primeira comunicação bem sucedida entre um cliente HTTP e o servidor através da Internet. Foi eleito pela revista Time como uma das 100 pessoas mais importantes do século XX.

António Damásio - Neurocientista português, professor de Neurociência na University of Southern California, tem contribuído de forma determinante para um melhor entendimento dos processos cerebrais, nomeadamente das emoções, sentimentos e consciência.

Robert Horvitz -Prémio Nobel da Medicina em 2002, foi distinguido pela investigação ao nível do desenvolvimento dos órgãos.

Michel Kazatchkine - Enviado especial das Nações Unidas para o HIV/SIDA na Europa Oriental e Ásia Central, passou as últimas três décadas a lutar contra a progressão da doença e por melhores condições de saúde em todo o mundo.

Atul Butte - Diretor do Institute for Computational Health Sciences da Universidade da California, em São Francisco, é também professor de pediatria e especialista em informática médica.

Manuel Castells - Sociólogo espanhol que se tem dedicado a investigar a sociedade de informação. Professor de sociologia e presidente da comissão científica da Universidade Aberta da Catalunha.

Padmasree Warrior - Ex-lider de tecnologia e estratégia da Cisco Systems, tem sido eleita pela Forbes, nos últimos três anos, como uma das 100 mulheres mais poderosas do mundo.

Nigel Cameron - Presidente do Centre for Policy on Emerging Technologies em Washington, que emite regulamentos para as tecnologias emergentes. No Instituto de Tecnologia do Illinoius, estabeleceu o primeiro centro que se debruça sobre a nanotecnologia e as suas implicações sociais.

Luciano Floridi - Professor de Filosofia e Ética da Informação na Universidade de Oxford, pertence ao organismo que faz aconselhamento da Google no que diz respeito ao "direito de ser esquecido". Dirige o conselho de ética da European Medical Information Framework.

Helga Nowotny - Ex-Presidente do European Research Council e professora emérita de estudos sociais de ciência no Instituto de Tecnologia Suíço em Zurique. Lecionou em Viena antes de mudar para Zurique, onde dirigia o Instituto de Teoria e Estudos Sociais de Ciência.

Gerry Gilmore - Professor de Filosofia Experimental na Universidade de Cambridge. Astrónomo, foi o primeiro a quantificar a quantidade de matéria escura no Sol.

Maria Leptin - Diretora da European Molecular Biology Organisation, trabalha em imunologia e dirige grupos de investigação na Universidade de Colónia e no Laboratório Europeu de Biologia Molecular.

Sydney Brenner - Figura central da biomedicina, venceu o Prémio Nobel da Medicina em 2002. Estabeleceu a existência do RNA mensageiro e demonstrou como é determinada a ordem dos aminoácidos nas proteínas.

José Goldemberg - Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, Brasil. Já foi ministro da Educação e do Ambiente no Brasil.

Shirin Ebadi - Prémio Nobel da Paz em 2003 - foi a primeira iraniana a ser distinguida - e ativista dos direitos humanos, é uma advogada que fundou no Irão o centro para a defesa dos direitos humanos.

Ziauddin Sardar - Presidente do Muslim Institute no Reino Unido, fundação que promove o debate e o conhecimento através da atribuição de bolsas, é também o editor do Critical Muslim, publicação quadrimestral sobre pensamento muçulmano contemporâneo.

Jorge Sampaio - Ex-Presidente da República portuguesa, foi Secretário-Geral das Nações Unidas Enviado Especial para a Luta contra a Tuberculose e Alto Representante da ONU para a Aliança das Civilizações pelo Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Madrid ou a vergonha de Prometeu

O que está a acontecer na COP 25 de Madrid é muito mais do que parece. Metaforicamente falando, poderíamos dizer que nas últimas quatro décadas confirmámos o que apenas uma elite de argutos observadores, com olhos de águia, havia percebido antes: não precisamos de temer o que vem do espaço. Nenhum asteroide constitui ameaça provável à existência da Terra. Na verdade, a única ameaça existencial à vida (ainda) exuberante no único planeta habitado conhecido do universo somos nós, a espécie humana. A COP 25 reproduz também outra figura da nossa iconografia ocidental. Pela 25.ª vez, Sísifo, desta vez corporizado pela imensa maquinaria da diplomacia ambiental, transportará a sua pedra penitencial até ao alto de mais uma cimeira, para a deixar rolar de novo, numa repetição ritual e aparentemente inútil.

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Agendas

Disse Pessoa que "o poeta é um fingidor", mas, curiosamente, é a palavra "ficção", geralmente associada à narrativa em prosa, que tem origem no verbo latino fingire. E, em ficção, quanto mais verdadeiro parecer o faz-de-conta melhor, mesmo que a história esteja longe de ser real. Exímios nisto, alguns escritores conseguem transformar o fingido em algo tão vivo que chegamos a apaixonar-nos por personagens que, para nosso bem, não podem saltar do papel. Falo dos criminosos, vilões e malandros que, regra geral, animam a literatura e os leitores. De facto, haveria Crime e Castigo se o estudante não matasse a onzeneira? Com uma Bovary fiel ao marido, ainda nos lembraríamos de Flaubert? Nabokov ter-se-ia tornado célebre se Humbert Humbert não andasse a babar-se por uma menor? E poderia Stanley Kowalski ser amoroso com Blanche DuBois sem o público abandonar a peça antes do intervalo e a bocejar? Enfim, tratando-se de ficção, é um gozo encontrar um desses bonitões que levam a rapariga para a cama sem a mais pequena intenção de se envolverem com ela, ou até figuras capazes de ferir de morte com o refinamento do seu silêncio, como a mãe da protagonista de Uma Barragem contra o Pacífico quando recebe a visita do pretendente da filha: vê-o chegar com um embrulho descomunal, mas não só o pousa toda a santa tarde numa mesa sem o abrir, como nem sequer se digna perguntar o que é...

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

"O clima das gerações"

Greta Thunberg chegou nesta semana a Lisboa num dia cheio de luz. À chegada, disse: "In order to change everything, we need everyone." Respondemos-lhe, dizendo que Portugal não tem energia nuclear, que 54% da eletricidade consumida no país é proveniente de fontes renováveis e que somos o primeiro país do mundo a assumir o compromisso de alcançar a neutralidade de carbono em 2050. Sabemos - tal como ela - que isso não chega e que o atraso na ação climática é global. Mas vamos no caminho certo.