Fabricantes e distribuidores colocam mais autotestes no mercado e farmácias alargam horários

Infarmed reuniu com fabricantes, distribuidores e farmácias para fazer ponto de situação. No mercado vão ser colocados mais autotestes e farmácias vão estar abertas mais tempo.

A poucos dias do Natal e já com algumas farmácias com os stocks de autotestes esgotados e o agendamento para a realização de testes de rastreio profissionais à covid-19 também, o Infarmed decidiu chamar fabricantes, distribuidores e farmácias para fazer um ponto da situação para que em conjunto pudessem encontrar soluções de forma a dar-se a resposta necessária à procura que tem vindo a ser registada nesta altura.

Neste sentido, e segundo apurou o DN, os laboratórios fabricantes de autotestes e os distribuidores comprometeram-se a colocar no mercado nesta semana e na próxima uma maior quantidade deste produto de forma a que não haja rotura de stocks. "Se não houver autotestes numa farmácia, certamente haverá noutra", explicou a presidente da Associação Nacional das Farmácias, Ema Paulino, sublinhando que o sector está a esforçar-se ao máximo para dar resposta à procura destes serviços, que dispararam nas últimas semanas e com as festividades à porta.


Mas não só. Na reunião que decorreu ontem durante várias horas, os representantes das farmácias comprometeram-se também a reforçar o pessoal destinado a esta tarefa de forma a poderem praticar horários mais alargados, que poderão ir até às 22.00 ou até às 24.00 nalgumas situações de forma a responder à procura dos testes de antigénio.


Na sexta-feira, as farmácias aderentes aos testes profissionais gratuitos voltaram a bater novo recorde. Ao todo, foram realizados 100 195 testes, mais 27 mil do que na sexta-feira anterior, em que foram feitos 73 756. Mas esta semana é expectável que a procura aumente ainda mais. E foi neste sentido que, segundo a presidente da Associação Nacional das Farmácias (ANF), Ema Paulino, as farmácias reforçaram o pessoal destinado a esta tarefa e estão a prolongar horários. Por isto, a representante das farmácias apelou à população para que use este serviço de forma correta, pedindo a quem tem testes marcados e não possa deslocar-se para o ir fazer que avise a farmácia para esse tempo poder ser disponibilizado para outra pessoa.


Ema Paulino, que falava após uma reunião com a autoridade do medicamento (Infarmed), no sentido de se poder aumentar a capacidade de testagem aos portugueses antes do Natal, referiu que as farmácias estão a esforçar-se para dar resposta à procura, explicando que neste momento há farmácias que só fazem testes por marcação, outras que só ontem abriram agenda para marcações para esta semana e outras ainda que estão a funcionar estilo casa aberta, sem qualquer tipo de marcação. Ao mesmo tempo, os stocks de autotestes estão a ser reforçados em todas as farmácias.

Segundo os dados disponibilizados por Ema Paulino, nos últimos 15 dias, de 5 de dezembro a 19, foram feitos 755 485 testes. Destes, 59% foram feitos ao abrigo dos acordos com o SNS, 26% ao abrigo de outras parcerias com autarquias e 16% pelo privado.

Neste momento, e conforme sublinhou a presidente da ANF, já há 963 farmácias aderentes ao programa de testes profissionais gratuitos (consulte aqui a lista), há duas semanas eram 600 farmácias, e mais 200 que têm acordos com autarquias. Ao todo, são agora, 1163 farmácias que aderiram ao programa, mas Ema Paulino espera que, nas próximas semanas, este número possa atingir as 1400.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG