Sociedade
30 janeiro 2021 às 00h32

Estudo de cientistas portugueses reforça o papel da memória celular na resposta ao vírus

Trabalho de investigadores do i3S mostra que a imunidade celular dura pelo menos cinco meses e pode ser tão ou mais importante do que a conferida pelos anticorpos. Dados podem contribuir para a gestão dos planos de vacinação e influenciar desenvolvimento de futuros fármacos e vacinas