Dos astronautas aos mergulhadores, a elite dos exploradores está de volta a Portugal para cimeira nos Açores

Depois de no ano passado se ter dividido entre Lisboa e Ponta Delgada, desta vez é 100% açoriana a maior cimeira de exploradores do mundo. What"s Next? é o lema.

Mike Alegria, nascido em Espanha e antigo astronauta da NASA, acaba de regressar de uma missão científica na Estação Espacial Internacional, a primeira inteiramente privada. No verão passado, quando esteve em Portugal para a Glex Summit 2021, tinha já falado dos projetos para regressar ao espaço, nada que os seus agora 63 anos lhe fizessem hesitar. Ora, Mike Alegria, tal como Nina Lanza, a cientista que controla os rovers americanos em Marte, ou Mario Rigby, o canadiano que atravessou a África a pé, de sul a norte ,são o tipo de participantes que costumam fazer sonhar quem assiste às conferências integradas nas Glex Summit, uma iniciativa do Explorers Club de Nova Iorque e da Expanding World do português Manuel Vaz. E a edição deste ano, sob o lema What"s Next?, já a terceira, não só volta a acontecer em Portugal, entre 4 e 7 de julho, como desta vez terá os Açores como palco privilegiado.

Em entrevistas do DN a Alegria, Lanza e Rigby, ou ao presidente do Explorers Club, Richard Garriot (empresário de videojogos que já foi ao espaço e à Fossa das Marianas), ficou sempre evidente a atração por Portugal, o país dos grandes navegadores, e o fascínio pelos Açores, pela conjugação da beleza arquitetónica com a natural. Por isso, no evento, a decorrer na primeira semana de julho, a ilha de São Miguel será o palco principal, enquanto em 2021 a Gare Marítima de Alcântara, em Lisboa, foi central e depois houve uma extensão das atividades ao Teatro Micaelense, em Ponta Delgada.

"Não há melhor local para descobrir o que se seguirá na exploração, do que uma ilha que já foi um espaço vazio no mapa, até exploradores corajosos a encontrarem. Esse esforço de preencher espaços vazios em mapas está presente na história dos Açores e na empreitada dos navegadores portugueses. Da travessia do Atlântico, à travessia das estrelas, estamos no limiar de uma nova época dourada da exploração", afirmou Garriot na gala do Explorers Club em Nova Iorque, no domingo, que serviu de anúncio do primeiro esboço do programa da Glex Summit 2022.

Serão meia centena, os exploradores, e o programa incluirá mais de 40 painéis de apresentação, divididos por quatro temáticas principais: Oceanos; Exploração Espacial; Conservação da Natureza e Alterações Climáticas; e as atuais e futuras Grandes Expedições do nosso tempo, segundo divulgaram os organizadores. Entre estes, Manuel Vaz tem tido um papel decisivo na ligação entre o clube nova-iorquino e Portugal. E, por isso mesmo, falando sobre as várias cimeiras, diz: "Em 2019, quisemos marcar o início das comemorações dos 500 anos da circum-navegação, imaginando esta cimeira como uma espécie de Davos da exploração mundial. Agora, aproveitando esta mudança de época para a exploração, a Glex Summit reafirma a importância estratégica deste encontro para Portugal, enquanto país ligado ao empreendedorismo e inovação, mas também enquanto destino de produção e partilha científica, com respostas e soluções para os novos desafios do conhecimento científico e da sustentabilidade dos nossos ecossistemas". A apoiar a Glex Summit estão o Governo Regional dos Açores, o Turismo de Portugal, a Agência Espacial Portuguesa e a Estrutura de Missão do V Centenário da Primeira Viagem de Circum-navegação, a iniciada em 1519 pelo português Fernão de Magalhães e terminada pelo espanhol Juan Sebástian Elcano em 1522.

Entre os palestrantes já anunciados estão James B. Garvin, cientista-chefe da NASA para a exploração de Marte e atual líder da missão DAVINCI+,que tem por rumo o planeta Vénus. Também presentes estarão Nicole Stott, veterana astronauta, Austin Gallagher, premiado biólogo marinho, e o casal de conservacionistas Beverly e Dereck Jouberts, franceses, que há mais de 30 anos celebram a natureza e a vida selvagem em documentários, livros e revistas científicas. Destaque ainda, numa lista que vai crescer, para os cientistas Glen Gowers e Oliver Vince, que apresentarão a Basecamp Research, uma empresa de dados biológicos que está a revolucionar a descoberta de proteínas em ambientes naturais biodiversos.

leonidio.ferreira@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG