DGS reduz isolamento para sete dias para assintomáticos e contactos de alto risco

O período de isolamento era até agora de 10 dias. A decisão passa a ser aplicada durante a próxima semana.

A Direção-Geral da Saúde anunciou esta terça-feira que o período de isolamento de pessoas infetadas assintomáticas e contactos de alto risco passa de 10 para 7 dias.

Em comunicado, a DGS explica que a decisão "está alinhada com orientações de outros países e resulta de uma reflexão técnica e ponderada", tendo em conta "o período de incubação da variante agora predominante, a Ómicron".

Neste sentido, anuncia ainda que "o mais brevemente possível, no decurso da próxima semana" esta decisão técnica será operacionalizada, justificando este período de espera com a "necessidade de atualização de normas e de reparametrização do sistema de informação".

A decisão surge um dia depois da Região Autónoma da Madeira ter reduzido para cinco dias o período de isolamento de infetados assintomáticos e de quem contactou com casos positivos, acabando mesmo com a quarentena de contactos vacinados com a terceira dose.

"Redução para os 5 dias de isolamento é uma situação que está em aberto"

Ao início da tarde, em entrevista à RTP 3, Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, indicou que a redução para 5 dias do período de isolamento "está em aberto". Graça Freitas indicou que "daqui a uns dias vamos ter mais informação sobre a variante Ómicron e quanto mais soubermos melhor para definirmos com segurança qual o menor tempo possível de isolamento".

Graça Freitas fez questão em sublinhar que o novo período de isolamento (sete dias) apenas se verifica para a variante Ómicron (que é agora maioritária nos novos casos em Portugal), "um dia que surja uma nova variante temos de adotar novamente o sistema com novos paradigmas de resposta"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG