Coordenador da vacinação avisa que vai ser preciso contratar mais profissionais

Gouveia de Melo diz que o país precisa de contratar profissionais para acelerar o processo de imunização nos próximos meses.

"Vai ser necessário certamente contratar profissionais de saúde. Quantos? É o que nós estamos a apurar neste momento", afirmou este domingo o vice-almirante Gouveia de Melo, coordenador do plano nacional de vacinação contra a covid-19. Declarações prestadas em Faro, onde acompanhou o processo de vacinação de docentes e não docentes das escolas do pré-escolar, 1.º ciclo e da escola a tempo inteiro, ao lado do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Gouveia de Melo sublinhou que "as organizações não nascem do nada". Afirmou: "É preciso tempo, testá-las, afiná-las", "É o que se está a fazer" para o país poder aumentar a capacidade de vacinação da população para níveis mais elevados do que os atuais.

Para o coordenador da "task force" da vacinação, o processo que está a decorrer este fim de semana com os docentes e não docentes é um bom exemplo, sendo, também, um teste ao plano. "Essas conclusões serão todas agregadas para permitirem afinar com mais certeza quantas pessoas é que são necessárias contratar".

Considera que houve "muitas coisas" que podem ser melhoradas, mas Gouveia e Melo defende que, "para não estar a olhar para os pormenores, é preciso olhar para a 'floresta'", ou seja, para o quadro geral.

"A 'floresta' é que ontem [sábado] foram vacinadas 44 mil pessoas e este processo foi organizado em uma semana e meia, portanto, esse, para mim, é um indiciador de sucesso", afirmou.

Quanto ao resto, "são pormenores", que depois terão "de ser integradas enquanto lições aprendidas para o futuro".

"Isto é uma grande escadaria, só demos um passo em mais um degrau, portanto há muitos degraus que ainda vamos ter de superar, e nada é fácil neste processo, portanto, não podemos descansar, não podemos ficar contentes, temos que ser totalmente ambiciosos para libertar a nossa economia, libertar o nosso país desta pandemia o mais rapidamente possível", acrescentou.

O coordenador da "task force" de vacinação está "bastante contente" com o processo de vacinação destes docentes e não docentes durante o fim de semana.

"As escolas fazem parte das diferentes soluções que temos de testar e, uma vez testadas, funcionaram muito bem e estão a funcionar muito bem" e isso "dá confiança para termos diversas soluções para escalar o processo, quando assim for necessário, para mais de 100.000 vacinas por dia", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG