Inundações e queda de árvores. Chuva e vento forte fazem estragos no Algarve

A chuva intensa e o vento forte que se registaram no Algarve, entre as 12:30 e as 15:30, provocaram 62 ocorrências, entre inundações, queda de árvores e de estruturas

De acordo com o Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro, foram contabilizadas 62 ocorrências por todo o Algarve, "entre pequenas inundações na via pública, queda de árvores e de estruturas".

A maioria das ocorrências verificou-se nos concelhos de Faro, de Olhão e de Loulé, "mas nenhuma com gravidade".

"Apesar do grande número de ocorrências registadas num curto período de tempo, a situação já está normalizada em todo o distrito de Faro", concluiu.

Devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes, acompanhados de trovoadas e que poderão ser ocasionalmente de granizo, e à agitação marítima com ondas de sueste com dois a três metros na costa sul, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou o Algarve sob aviso amarelo.

O Comandante da Zona Marítima do Sul e Capitão do Porto de Faro, Rocha Pacheco, disse à Lusa que, devido à agitação marítima, "foram encerradas, a toda a navegação marítima, as barras de Tavira, Lagos, Albufeira e Alvor".

As barras de Vila Real de Santo António, Faro, Olhão e Quarteira "estão condicionadas a embarcações com comprimento inferior a dez metros".

Rocha Pacheco indicou que "as condições meteorológicas estão a acalmar, prevendo-se uma melhoria do estado do mar a partir de segunda-feira".

Avisos amarelos no arranque da Primavera

A nível nacional, a Proteção Civil registou, até às 17:00 deste domingo (20), um total de 96 ocorrências relacionadas com o mau tempo em Portugal continental, inclusive quedas de árvores e inundações, sobretudo localizadas no distrito de Faro, mas sem registo de feridos.

Em declarações à agência Lusa, o responsável da Proteção Civil indicou que, para o total de ocorrências registadas, "foram mobilizados 292 operacionais e 96 meios terrestres", e assegurou que em nenhuma das situações houve vítimas.

A maioria das ocorrências foi registada nos distritos "mais a sul" do território continental português, em que Faro é o mais afetado, destacando-se ainda Beja e Lisboa, com nove ocorrências cada, e Setúbal, com oito, de acordo com o balanço da ANEPC até às 17:00.

A Proteção Civil prevê atualizar esse balanço com dados das próximas horas, já que, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), os avisos amarelos relacionados com o mau tempo vigoraram até às 18:00, pelo que se prevê uma melhoria da situação meteorologia a partir desta hora.

Os distritos de Évora, Faro, Setúbal, Santarém, Lisboa, Leiria e Beja estiveram sob aviso amarelo, entre as 12:00 e as 18:00, devido à previsão de chuva, por vezes forte e acompanhada de trovoadas, no dia em que começa a Primavera, de acordo com o IPMA.

O IPMA colocou os sete distritos com aviso devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoadas, e que poderão ser ocasionalmente de granizo.

Os distritos de Faro e Beja estiveram ainda sob aviso amarelo, entre as 08:00 e as 15:00, por causa do vento forte de sueste, com rajadas até 80 quilómetros por hora.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG