BioNTech espera ter vacina disponível para jovens de 12 a 15 anos a partir de junho na Europa

"É muito importante permitir que as crianças voltem às suas vidas escolares normais e permitir que se reúnam com a família e amigos", disse o CEO da empresa.

A BioNTech espera que a vacina contra a covid-19, que desenvolveu em parceria com a Pfizer, esteja disponível para crianças de 12 a 15 anos na Europa a partir de junho.

O presidente executivo da empresa alemã, Ugur Sahin, afirmou à revista Der Spiegel que a proposta para aprovação do regulador europeu estava na fase final.

A avaliação dos dados do ensaio clínico "demora de quatro a seis semanas em média", acrescentou o responsável.

Esta vacina está atualmente autorizada apenas para pessoas com 16 anos ou mais. A vacinação de crianças é vista como o próximo passo crucial para a imunidade de grupo e o fim da pandemia.

A perspetiva de vacinar as crianças mais velhas antes do início do próximo ano letivo também aliviaria a pressão sobre os pais que têm de lidar com o ensino à distância enquanto mantêm os empregos.

"É muito importante permitir que as crianças voltem às suas vidas escolares normais e permitir que se reúnam com a família e amigos", disse o CEO da empresa à Der Spiegel.

Na próxima semana, a BioNTech espera pedir aprovação ao regulador europeu

No início deste mês, o consórcio BioNTech/Pfizer solicitou à entidade reguladora dos EUA, a Food and Drug Administration (FDA), a aprovação do uso de emergência da sua vacina em adolescentes de 12 aos 15 anos.

Sahin espera apresentar um pedido semelhante à Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) na próxima quarta-feira, avançou à revista alemã.

A BioNTech e a Pfizer anunciaram, no final de março, que os resultados dos ensaios clínicos da Fase 3 da vacina para crianças de 12 a 15 anos mostraram que o fármaco era 100% eficaz no combate à doença.

A vacina também foi "bem tolerada e os efeitos secundários foram geralmente consistentes com os observados" em pessoas com idades entre os 16 e os 25 anos, acrescentaram as empresas.

Os dois laboratórios também pretendem obter a aprovação da vacina contra a covid-19 destinada a crianças a partir dos seis meses.

A BioNTech espera obter, até setembro, os resultados dos ensaios clínicos da vacina que desenvolveu com a Pfizer realizados com bebés de seis meses, indicou ainda o responsável da farmacêutica alemã.

"Em julho, os primeiros resultados dos ensaios em crianças de cinco a 12 anos podem estar disponíveis e em setembro estarão disponíveis os dados sobre crianças mais novas", disse Ugur Sahin.

Os ensaios clínicos que estão a decorrer são "muito encorajadores", disse Sahin, referindo que "as crianças estão muito bem protegidas pela vacina".

A fórmula da BioNTech/Pfizer contra a covid-19 é baseada na tecnologia de mRNA (RNA mensageiro), tendo sido a primeira a ser aprovada no Ocidente, no ano passado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG