Vacina da Janssen retirada na Eslovénia após confirmada associação a uma morte

Siga aqui tudo sobre a pandemia de covid-19

DN
Unidade de cuidados intensivos do Hospital de Santa Maria, Lisboa© Orlando Almeida / Global Imagens

Vacina da Janssen retirada na Eslovénia após confirmada associação a uma morte

A Eslovénia descartou em definitivo a administração da vacina da Janssen contra a covid-19 após especialistas terem confirmado a ligação desta vacina à morte de uma mulher de 20 anos por coágulos sanguíneos, divulgou hoje o Governo.

O ministro da Saúde esloveno, Janez Poklukar, revelou que um painel de especialistas confirmou que a jovem morreu, dias depois de ter tomado a vacina, devido a uma trombocitopenia imune, causada pela destruição autoimune das plaquetas, um efeito secundário raro associado a esta vacina.

Após a morte da mulher em setembro, a Eslovénia já tinha suspendido a utilização desta vacina desenvolvida pelo laboratório norte-americano Johnson & Johnson, que é de toma única, noticia a agência AFP.

"A suspensão temporária da vacinação com a Janssen, atualmente em vigor, vai tornar-se permanente", revelou o ministro em conferência de imprensa após a divulgação dos dados.

Dose de reforço para maiores de 50 vacinados com Janssen arranca domingo

A vacinação para a população com mais de 50 anos a quem foi administrada a vacina da Janssen contra a covid-19 arranca no domingo e os utentes devem aguardar a convocatória por SMS, foi hoje divulgado.

Segundo revelou a Direção Geral da Saúde (DGS) em comunicado, o processo de vacinação para maiores de 50 anos a quem foi administrada a vacina de toma única da Janssen começa em 05 de dezembro e prosseguirá no feriado de 08 de dezembro e nos domingos seguintes, 12 e 19 de dezembro.

"Para este efeito, os utentes serão convocados por SMS, devendo aguardar essa convocatória. Os utentes que não forem convocados para dia 05 de dezembro devem aguardar a convocatória para os outros dias de vacinação", refere ainda a DGS na nota de imprensa.

Em 24 de novembro, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales,??? tinha explicado que são mais de 250 mil pessoas nestas circunstâncias, sendo os restantes progressivamente agendados por faixa etária até janeiro.

Na semana passada, a Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou que as pessoas a partir dos 18 anos que receberam a vacina contra a covid-19 da Janssen vão poder receber uma dose de reforço após 90 dias da administração da primeira.

A dose de reforço será da vacina da Pfizer ou da Moderna, estando elegíveis cerca de um milhão de pessoas.

A DGS referiu hoje que também no domingo (05 de dezembro) irá manter-se o regime de 'Casa Aberta' para cidadãos com idade igual ou superior a 75 anos.

Lusa

Mais de 104 mil pessoas vacinadas contra o coronavírus e gripe - DGS

Mais de 104 mil pessoas foram vacinadas contra a gripe e covid-19 nas últimas 24 horas, a maioria das quais receberam a dose de reforço da imunização contra o coronavírus, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o relatório diário da DGS, relativamente ao dia anterior, foram registadas um total de 104.396 inoculações de vacinas contra a covid-19 - que incluem o esquema primário de vacinação completa e a dose de reforço - e contra a gripe.

Com a vacinação primária completa contra o SARS-CoV-2 estão agora 8.577.814 pessoas, mais 3.112 nas últimas 24 horas, enquanto a terceira dose já foi administrada a um total de 1.220.663 pessoas, mais 59.136 do que no dia anterior.

Receberam esta dose de reforço cerca de 505 mil idosos com 80 ou mais anos, perto de 390 mil da faixa entre os 70 e 79 anos e mais de 142 mil do grupo etário entre os 65 e os 69 anos.

Em relação à gripe, os dados da DGS indicam que já foram vacinadas 1.913.731 pessoas, 42.148 das quais receberam a vacina nas últimas 24 horas.

Utentes devem considerar apenas SMS de reagendamento para novo centro de vacinação em Lisboa

Os cidadãos com marcação prévia para centros de vacinação agora encerrados em Lisboa, devem considerar apenas o reagendamento recebido por mensagem para comparecerem no novo espaço, na Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações, foi hoje divulgado.

Em comunicado, a Direção Geral da Saúde (DGS) explicou que foi necessário informar os utentes previamente agendados para os centros de vacinação encerrados do seu reagendamento para o novo centro de vacinação em Lisboa.

"Esta informação foi efetuada por SMS, a partir do número 2424. Pede-se aos utentes que respeitem apenas a informação constante nas SMS com agendamento para a FIL-Pavilhão 4 (EXPO - Parque das Nações), Av. Boa Esperança, 40101B, 1990-305 Lisboa", pode ler-se.

Lusa

Brasil anuncia identificação preliminar de dois casos da Ómicron

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão de vigilância sanitária do Brasil, anunciou hoje a identificação preliminar de dois resultados positivos no país da estirpe Ómicron do vírus SARS-CoV-2, causador da covid-19.

"A Anvisa informa que serão enviadas para análise laboratorial confirmatória as amostras de dois brasileiros que, preliminarmente, apresentaram resultado laboratorial positivo para a variante [estirpe] Ómicron do Sars-Cov-2, após testagem realizada pelo laboratório Albert Einstein", disse a Anvisa, num comunicado.

Segundo aquele organismo, "tal testagem deve-se ao facto de que um passageiro vindo da África do Sul e que desembarcou em Guarulhos no dia 23/11, portando resultado de RT-PCR negativo, com vistas a preparar-se para a viagem de regresso à África do Sul, procurou o laboratório localizado no aeroporto de Guarulhos, no dia 25/11, para, já na companhia de sua esposa, realizar o teste de RT-PCR requerido para o regresso".

"Naquele momento, ambos testaram positivo para a covid-19 e o facto foi comunicado ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) de São Paulo", acrescentou.

Lusa

As alternativas disponíveis após o fecho da urgência pediátrica do Garcia de Orta

No caso de situações que requeiram atendimento urgente de crianças em idade pediátrica, em unidade de saúde hospitalar, os utentes devem dirigir-se para atendimento nos hospitais da Península de Setúbal, bem como no Hospital D. Estefânia (Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central), no Hospital de Santa Maria (Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte) ou no Hospital S. Francisco Xavier (Centro Hospitalar Lisboa Ocidental), este último no período diurno.

O Hospital Garcia de Orta apela à população que, em caso de situação de doença aguda, em crianças em idade pediátrica, recorra, em primeiro lugar, aos centros de saúde do ACES Almada-Seixal, para atendimento entre as 08:00 e as 20:00, nos dias úteis.

Aos fins de semana e feriados podem deslocar-se aos serviços de Atendimento Complementar do Centro de Saúde da Amora (Seixal) ou do Centro de Saúde Rainha D. Leonor (Almada), das 10:00 às 17:00.

Lusa

Administração Regional de Saúde de Lisboa pede desculpa aos utentes da capital

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) pediu, esta terça-feira, desculpa aos utentes de Lisboa que viram adiados os agendamentos de vacinação contra a covid-19, indicando que "não serão mais de 2.500 pessoas".

"Pedimos desculpa. De vez em quando, este é um processo complexo, difícil, envolve milhares e milhares, centenas de milhares de pessoas, tem agendamentos centrais, tem agendamentos locais, enfim, nem sempre as coisas poderão correr bem, pedimos desculpa por isso", afirmou o presidente da ARSLVT, Luís Pisco, referindo-se ao adiamento de agendamentos devido ao encerramento de três centros de vacinação em Lisboa.

No âmbito de uma visita ao novo centro de vacinação no pavilhão 4 da Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações, que abre portas na quarta-feira, acompanhado do presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas (PSD), o responsável da ARSLVT assegurou que "não há qualquer dificuldade em vacinar essas pessoas nos próximos dias" e realçou que o novo espaço "tem o dobro da capacidade que estava instalada em Lisboa", permitindo aumentar de 3.000 pessoas vacinadas por dia para 6.000 ou ir até às 9.000.

"Pedia às pessoas que estivessem atentas nos próximos dias, porque vão receber 'sms' a confirmar - não precisam de responder - o seu agendamento e a hora para este local", indicou Luís Pisco.

Relativamente ao impacto do encerramento dos três centros de vacinação, designadamente Picadeiro (Príncipe Real), Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa (Areeiro) e Pavilhão 3 do Estádio Universitário de Lisboa, o presidente da ARSLVT assegurou que vai ser possível recuperar os atrasos na vacinação "rapidamente", tendo em conta o aumento da capacidade, e a situação "não vai afetar minimamente os objetivos para atingir em dezembro".

Mesmo antes da visita ao novo centro de vacinação na FIL, vários utentes apareceram com 'sms' de agendamento de vacinação para o dia de hoje, mas o espaço só começa a funcionar a partir de quarta-feira.

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) pediu esta terça-feira desculpa aos utentes de Lisboa que viram adiados os agendamentos de vacinação contra a covid-19, indicando que "não serão mais de 2.500 pessoas".

França regista 47.000 novos casos, o número mais elevado desde abril

A França registou 47.000 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, o número mais elevado desde abril, anunciou esta terça-feira o ministro da Saúde, Olivier Véran, na Assembleia Nacional.

"A situação está a agravar-se", afirmou o ministro, em resposta a uma pergunta no parlamento, antes de indicar que o vírus está a aumentar a sua presença "em todo o território nacional" e os casos sobem a um ritmo de 60% por semana.

Por isso, o ministro instou a população a prosseguir o processo de vacinação com a inoculação da terceira dose, ou dose de reforço, que está disponível para todos os adultos do país.

"É necessário intensificar a campanha", sublinhou.

O país tinha na segunda-feira 9.860 doentes com covid-19 hospitalizados, 1.749 dos quais em unidades de cuidados intensivos, mas "sem a vacina, os hospitais estariam sobrelotados", reconheceu o titular francês da pasta da Saúde.

Sem contar com os números anunciados por Véran, a França registou 7,62 milhões de casos confirmados de covid-19 e 119.016 mortes.

(Com Lusa)

Caso de Ómicron no Garcia de Orta relacionado com surto na Belenenses SAD

O caso de covid-19 da variante Ómicron detetado num médico do Hospital Garcia de Orta, em Almada, está ligado ao surto na Belenenses SAD, disse à agência Lusa o presidente do Conselho de Administração da unidade hospitalar.

"Está relacionado com o surto conhecido da Belenenses SAD", disse Luís Amaro em declarações à agência Lusa. Em causa, segundo a SIC Notícias, estará um dos médicos.

Este caso de covid-19 da variante Ómicron levou ao encerramento temporário dos serviços de urgência pediátrica e consulta externa de pediatria do Hospital Garcia de Orta, em Almada, a partir das 22:00 de hoje e por um período de 14 dias.

O hospital aplicou a medida de isolamento profilático imediato a todos os contactos de risco identificados, cumprindo assim as orientações da autoridade de saúde.

Foram detetados 28 contactos de risco entre os profissionais de saúde, os quais estão a ser acompanhados pelo Departamento de Saúde Ocupacional da unidade hospitalar e que vão permanecer em isolamento profilático durante 14 dias.

Além dos profissionais de saúde, o hospital identificou ainda 28 utentes, considerados contactos de risco, em ambulatório, que já estão a ser seguidos pela autoridade de saúde local.

Lusa

Hospital de Almada fecha urgência e consultas de pediatria por caso de Ómicron

Os serviços de urgência pediátrica e consulta externa de pediatria do Hospital Garcia de Orta, em Almada, encerram a partir de hoje e por um período de 14 dias na sequência de um caso de covid-19 da variante Ómicron.

Segundo o Hospital Garcia de Orta (HGO), os dois serviços encerram temporariamente a partir de hoje às 22:00 devido a um caso confirmado de covid-19, num profissional de saúde, em funções no hospital e ligado ao surto já conhecido da variante Ómicron em Portugal.

O hospital aplicou a medida de isolamento profilático imediato a todos os contactos de risco identificados, cumprindo assim as orientações da autoridade de saúde.

Em comunicado, o hospital adianta que foram detetados 28 contactos de risco entre os profissionais de saúde, os quais estão a ser acompanhados pelo Departamento de Saúde Ocupacional da unidade hospitalar e que vão permanecer em isolamento profilático durante 14 dias.

Lusa

China reconhece que Ómicron cria dificuldades acrescidas a Jogos de Inverno

A China reconheceu este terça-feira que a nova variante Ómicron vai criar dificuldades acrescidas à organização dos Jogos Olímpicos de Inverno, mas reafirmou a confiança na realização de Pequim2022, de 04 a 20 de fevereiro.

"Certamente trará alguns desafios em termos de combate à pandemia, porém a China tem experiência nessa área e estou totalmente convencido de que os Jogos Olímpicos de Inverno decorrerão de modo tranquilo e conforme planeado", disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Zhao Lijian.

A China controlou a pandemia de covid-19 no seu território graças a medidas muito rígidas, que passaram por confinamentos, limitação muito forte de voos internacionais, quarentena obrigatória à chegada, triagens massivas e isolamento de casos de contacto, identificados graças a aplicativos de rastreamento de viagens.

Apesar de pequenos surtos esporádicos, a situação normalizou na primavera de 2020, com o país a manter as suas fronteiras com controlo muito restrito.

Os cerca de 2.900 atletas esperados para Pequim2022, sem espetadores estrangeiros, tal como aconteceu em Tóquio2020, vão estar numa bolha sanitária: devem estar vacinados ou então cumprir 21 dias de quarentena à chegada, sendo que todos serão testados diariamente.

"Os testes antes da partida, a política de vacinação", a bolha rígida e a triagem 'in loco' "são todos elementos essenciais que permitirão que os Jogos decorram em total segurança", prometeu hoje o Comité Olímpico Internacional.

(com Lusa)

Parlamento alemão pronuncia-se sobre vacinação obrigatória até ao fim do ano

O parlamento alemão vai pronunciar-se até ao final deste ano sobre uma lei que impõe a vacinação contra a covid-19 a toda a população para evitar o aumento das infeções, anunciou esta terça-feira o futuro chanceler, Olaf Scholz.

"A minha proposta é que (...) os deputados façam uma proposta ao parlamento" sobre a vacinação obrigatória, declarou numa entrevista à estação televisiva Bild TV o social-democrata que se prepara para assumir a chefia do novo Governo alemão, precisando que esse texto deverá ser apresentado "este ano", para entrar em vigor em fevereiro ou março do próximo ano.

A Alemanha tinha, até agora, afastado a opção radical de impor a vacinação obrigatória, adotada pela vizinha Áustria.

Mas o debate sobre esta questão subiu de tom nas últimas semanas, à medida que o país era duramente atingido por uma nova vaga pandémica.

A obrigatoriedade da vacinação foi recentemente decidida para as pessoas que trabalham em lares de terceira idade e hospitais, bem como para os membros da Bundeswehr (Forças Armadas Unificadas da Alemanha), e entrará em breve em vigor.

(Com Lusa)

Moedas diz que novo centro de vacinação vai ser "grande mudança para positivo"

O presidente da Câmara de Lisboa disse esta terça-feira que o novo centro de vacinação contra a covid-19 na Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações, que abre portas na quarta-feira, vai ser "uma grande mudança para positivo".

"Aquilo que a pandemia hoje exige do decisor político é a antecipação", afirmou o social-democrata Carlos Moedas, no âmbito de uma visita ao novo centro de vacinação no pavilhão 4 da FIL, acompanhado da diretora do Serviço Municipal de Proteção Civil, Margarida Castro Martins, e do presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Luís Pisco.

O autarca de Lisboa realçou que o novo espaço "é o único no país que conseguirá duplicar" a capacidade de vacinação, "num conforto completamente diferente daquele que era o existente, até porque vem aí o Inverno".

"Quando as pessoas virem as condições que vão ter aqui realmente vai ser uma grande mudança em relação àquilo que tínhamos em Lisboa, para positivo", assegurou.

Questionado sobre a falta de proximidade ao centro da cidade, Carlos Moedas referiu que continua a estar disponível o serviço de táxi gratuito dos utentes para a vacinação, através do número 218 172 021, e há "300 lugares gratuitos para as pessoas estacionarem" junto ao centro de vacinação na FIL.

Segundo informação da Câmara de Lisboa, este centro de vacinação entra em funcionamento na quarta-feira, "com 60 postos e uma capacidade para realizar até 9 mil inoculações contra a covid-19 ou gripe por dia".

(com Lusa)

Escola de Carregal do Sal encerrada temporariamente devido ao aumento de casos

A Escola Básica Nuno Álvares de Carregal do Sal foi encerrada temporariamente, devido ao aumento do número de casos de covid-19 no concelho, anunciou esta terça-feira o presidente da autarquia, Paulo Catalino.

Em comunicado divulgado esta terça-feira à tarde, Paulo Catalino alerta para o "aumento do número de casos covid-19 no concelho e a sua particular incidência em elementos da comunidade escolar".

Nesse âmbito, "a Proteção Civil Municipal, em articulação com o Delegado de Saúde Local, Regional e a Diretora do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal decidiram encerrar temporariamente a Escola Básica Nuno Álvares", explica.

Segundo Paulo Catalino, a autarquia aguarda que entretanto a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, "se pronuncie no sentido do encerramento do espaço por um tempo mais dilatado, idealmente até ao final da presente semana".

Como medida suplementar preventiva, os Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal encontram-se já a desinfetar as instalações, acrescenta. Na segunda-feira, o concelho de Carregal do Sal, no distrito de Viseu, tinha 61 casos ativos de covid-19.

Atendendo à tendência de aumento de casos de infeção no concelho, no sábado, a Comissão Municipal da Proteção Civil reuniu extraordinariamente e avançou com algumas medidas, como a criação de um gabinete de crise que integra profissionais de saúde, representantes do município e do agrupamento de escolas.

Associação de Discotecas alerta para eventuais aglomerações e situações de violência

A Associação de Discotecas Nacional (ADN) alertou esta terça-feira para eventuais aglomerações e "situações de violência" junto aos estabelecimentos de diversão noturna na sequência da exigência de testes negativos à covid-19 para entrada naqueles espaços.

"O que nós tememos hoje, véspera de feriado, com as medidas a entrar em vigor à meia-noite e com a situação de necessitarem de um teste ou certificado [na modalidade de teste] para entrar nas discotecas [e não conseguirem], é que iremos assistir a situações de violência grave, de aglomerações, como assistimos há cerca de dois meses na zona de Santos, na Rua de São Paulo, Bairro Alto, etc.", disse o presidente da ADN, José Gouveia, à agência Lusa.

Na apresentação das medidas de controlo da pandemia, após uma reunião do Conselho de Ministros, na quinta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou que a entrada nos espaços de diversão noturna vai estar sujeita à apresentação de teste negativo à covid-19, mesmo para vacinados, a partir de quarta-feira, 01 de dezembro, estando depois discotecas e bares encerrados entre 02 e 09 de janeiro.

Segundo José Gouveia, "não há capacidade de testagem" de forma a que os utentes da noite "possam hoje estarem todos testados para aceder às discotecas".

Inicialmente, a ADN assumiu que as medidas do Governo "eram exequíveis".

"Aquilo que o Governo não antecipou foi a ausência de testes - não são gratuitos -, nem antecipou a dificuldade que os nossos utentes estão a ter. Chegam-nos mensagens de norte a sul do país para fazer testes nas farmácias, alertando que tem de ser por marcação", frisou, acrescentando que o processo não é exequível em termos de tempo.

Sobe para 44 o número de casos confirmados de variante Ómicron na Europa

O número de casos confirmados na Europa da variante Ómicron do SARS-CoV-2, considerada de preocupação, subiu hoje para 44, anunciou o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), assinalando que todos têm historial de viagem.

Numa atualização epidemiológica publicada ao início da tarde, que tem por base dados facultados ao ECDC pelos Estados-membros da UE/EEE até às 12:00 (hora de Bruxelas, menos uma em Portugal), esta agência europeia informa que "44 casos confirmados de Ómicron foram comunicados por 11 países da União Europeia e do Espaço Económico Europeu [UE/EEE]".

Os países em causa são, além de Portugal, Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, França (Reunião), Alemanha, Itália, Países Baixos, Espanha e Suécia, precisa o ECDC, que cita "informações de fontes públicas", como autoridades de saúde.

A contabilização de hoje revela mais 11 pessoas infetadas com esta mutação do vírus, sendo que, à semelhança de segunda-feira, "a maioria dos casos confirmados tem um historial de viagens para países africanos, tendo alguns efetuado voos de ligação para outros destinos entre África e a Europa".

"Todos os casos para os quais existe informação disponível sobre gravidade ou eram assintomáticos ou tinham sintomas ligeiros", destaca o organismo europeu, frisando que, "até à data, não foram comunicados quaisquer casos graves ou mortes entre estes casos".

A estes acrescem "vários casos prováveis de toda a região, mas estão ainda sob investigação", conclui o ECDC.

Lusa

Médicos alertam que cuidados nas urgências de Santa Maria vão ficar em risco

Chefes de urgência, assistentes e internos do Departamento de Cirurgia do Centro Hospitalar Lisboa Norte alertaram hoje que em dezembro a prestação de cuidados de saúde nas urgências pode estar em causa por falta de médicos.

O alerta dos chefes de equipa de urgência, dos assistentes hospitalares e internos da formação específica da especialidade de Cirurgia Geral do Departamento de Cirurgia do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) é feito numa nota de esclarecimento enviada à Ordem dos Médicos e ao Sindicato Independente dos Médicos (SIM), a que a agência Lusa teve acesso.

No documento, os médicos esclarecem as suas posições das últimas semanas, como a indisponibilidade para realização de horas extraordinárias, demissão dos cargos de chefia de equipas de urgência, e invocação de exclusão de responsabilidade disciplinar face "ao funcionamento anómalo do Serviço de Urgência Central".

Os especialistas afirmam que "a degradação das condições de trabalho" neste serviço, "o número excessivo de horas extraordinárias, equipas subdimensionadas para o trabalho prestado" e a realização de trabalho fora do âmbito da sua especialidade "compromete uma adequada e segura prestação de cuidados de saúde aos doentes na urgência".

Compromete também "a atividade assistencial não urgente, a formação contínua dos médicos do Departamento de Cirurgia, com exaustão do presente quadro clínico do serviço", sustentam.

Lusa

Albuquerque diz que "não vale a pena" entrar em pânico com nova variante

O presidente do Governo da Madeira defendeu esta terça-feira que "não vale a pena" entrar em pânico com a nova variante do coronavírus, a Ómicron, reafirmando que as medidas de controlo da pandemia no aeroporto em vigor vão manter-se.

"Não vamos alterar as regras. Nós já temos estas regras há meses e meses. Sempre correu bem, sempre conseguimos controlar a situação, portanto nós não vamos alterar regras nenhumas", salientou Miguel Albuquerque, em declarações aos jornalistas à margem de uma visita a um conjunto de empresas tecnológicas, no Funchal.

Os passageiros que cheguem à região com certificado de vacinação não precisam de apresentar teste à covid-19, apesar de o poderem fazer caso queiram.

(Com Lusa)

EMA está pronta para adaptar vacinas à variante Ómicron

A responsável da Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla inglesa), Emer Cooke, disse esta terça-feira, em Bruxelas, que o organismo está preparado para adaptar as vacinas à nova variante do coronavírus da covid-19 (Ómicron), se necessário.

"Devemos ter muito cuidado nesta altura e só posso adiantar que não sabemos se vai ser necessário, mas se o for, já temos um plano de contingência", disse a representante, numa intervenção no Parlamento Europeu (PE).

"Sabemos que os vírus sofrem mutações e estamos preparados, se for necessário" para adaptar as vacinas já autorizadas para a covid-19, disse a diretora-executiva da EMA.

Desde fevereiro de 2020 que há um guia que permite às farmacêuticas acelerar a adaptação das vacinas, salientou também Emer Cooke, um processo que pode levar "três a quatro meses".

Os dados disponíveis mostram que "as vacinas autorizadas continuam a ser eficazes e a salvar pessoas de formas graves da doença e da morte", acrescentou.

Leia mais aqui

Aumento de casos na Baviera deve obrigar Bayern a jogar à porta fechada

O Bayern Munique deverá jogar os próximos encontros em casa, incluindo com o FC Barcelona, para Liga dos Campeões de futebol, à porta fechada, devido ao aumento de casos da covid-19 na Baviera, anunciou esta terça-feira o governo da região.

"Mesmo que não haja um acordo nacional, neste momento, não faz sentido permitir que os adeptos possam ir aos estádios. É isso que vai acontecer na Baviera", disse o governador Marcus Soder, que na próxima terça-feira terá uma reunião com a ainda chanceler Angela Merkel.

Caso se confirme esta situação, o Bayern Munique, que já está qualificado para os oitavos de final da 'Champions', vai receber na última jornada da fase de grupos o FC Barcelona sem adeptos nas bancadas, num jogo determinante para os catalães e também para o Benfica, que necessita de um triunfo dos germânicos ou de um empate, além de vencer o Dínamo de Kiev.

Já na última ronda da 'Bundesliga', os campeões germânicos receberam o Arminia Bielefeld (1-0) com apenas 25% da lotação do estádio preenchida, com todos os adeptos presentes a terem que apresentar um teste negativo à covid-19, bem como um certificado de vacinação ou prova de recuperação recente de infeção.

Além do Bayern, o Augsburgo e o Greuther Furth, equipas da Baviera que também militam no principal escalão, vão ser afetadas por esta decisão.

Também na 'Champions', já está confirmado que o Leipzig vai receber o Manchester City sem adeptos nas bancadas, por causa igualmente do aumento de casos do novo coronavírus.

Lusa

Estabelecimento Prisional de Coimbra com 24 reclusos infetados

O estabelecimento prisional de Coimbra tem 24 reclusos infetados com covid-19, segundo a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, que diz existirem também surtos em duas prisões e outros casos isolados, perfazendo 68 reclusos infetados.

A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) divulgou hoje a situação sobre a covid-19 que se vive nas prisões portuguesas, informando que há, neste momento, "surtos de covid-19 em dois estabelecimentos prisionais": Além dos 31 casos identificados no Estabelecimento Prisional de Alcoentre, foi detetado na noite de segunda-feira um outro surto em Coimbra.

No Estabelecimento Prisional de Coimbra há 24 casos de reclusos positivos, que estão "isolados em espaços celulares" previstos no plano de contingência, "estando sob acompanhamento clínico permanente", explica a DGRSP em comunicado.

Os casos foram detetados depois de dois reclusos terem apresentado, ainda na segunda-feira, sintomas compatíveis com a covid 19, que levaram à testagem de todos.

A DGRSP sublinha que estes casos são residuais, uma vez que há menos de 100 infetados num universo de cerca de 20 mil trabalhadores, reclusos e jovens internados em Centros Educativos.

Entre os 11.455 reclusos há 68 com testes positivos: Além dos 55 casos registados em Coimbra e Alcoentre, existem outros 13 reclusos de outros estabelecimentos prisionais de todo o país, explicou à Lusa fonte do gabinete de comunicação.

entre os trabalhadores da DGRSP existem neste momento 21 casos ativos.

Nos estabelecimentos prisionais de Coimbra e Alcoentre, estão temporariamente suspensas as atividades de formação escolar e profissional e de trabalho, bem como as visitas, com exceção das dos advogados.

"Os reclusos, a quem são diariamente entregues máscaras, mantêm, naturalmente, o direito legalmente consagrado a recreio a céu aberto e a telefonar. Aos reclusos positivos, genericamente assintomáticos ou com sintomas leves, é assegurada vigilância clínica 24 horas por dia", acrescenta aquele organismo no comunicado.

A DGRSP salienta que não se registou até ao momento qualquer óbito entre internados e trabalhadores, num ambiente em que a taxa de cobertura vacinal dos trabalhadores é 87,96%, a dos reclusos é de 92,42% e a dos jovens internados em Centros Educativos é de 88,42%.

Variante Ómicron presente nos Países Baixos desde 19 de novembro, uma semana antes do que se pensava

As autoridades de saúde holandeses afirmaram esta terça-feira que a variante Ómicron do SARS-CoV-2, responsável pela covid-19, já estava presente no país a 19 de novembro, ou seja, uma semana antes do que se pensava.

Foi também anunciado que estão a ser feitos testes para descobrir se a variante se propagou rapidamente.

O Instituto Holandês de Saúde e Meio Ambiente (RIVM) "detectou a variante Ómicron em dois testes feitos no país a 19 e 23 de novembro", afirmou a instituição em comunicado.

AFP

Alemanha e Rússia registam queda nas novas infeções pelo vírus

O número de novos casos do coronavírus desceu nas últimas 24 horas na Alemanha e na Rússia, tendo atingido os 45 753 e os 32 640 respetivamente, após um período de aumento e de recordes, indicaram esta terça-feira as autoridades.

A incidência do SARS-CoV-2 deixou de subir na Alemanha após picos sucessivos dia após dia desde o início de novembro, coincidindo com a reunião de emergência hoje que a chanceler alemã, Angela Merkel, e o seu sucessor, Olaf Scholz, vão realizar com os responsáveis regionais.

A incidência acumulativa é de 452,2 novas infeções por 100 000 habitantes, em comparação com 452,4 novas infeções por 100 000 habitantes na segunda-feira, de acordo com o Instituto Robert Koch (RKI).

As autoridades de saúde alemãs registaram 45 753 novas infeções e 388 mortes nas últimas 24 horas, enquanto os casos ativos andam à volta de 842 100.

Também na Rússia os níveis de novas infeções por covid-19 caíram, situando-se em 32 640 casos nas últimas 24 horas, enquanto o registo de mortes permanece próximo do recorde, com 1229 óbitos.

A última vez que a Rússia registou números abaixo da barreira de 33 000 novos casos foi a 15 de outubro.

A maioria das novas infeções foi registada em Moscovo (2788), em São Petersburgo (2103) e nos arredores de Moscovo (2215). Em Moscovo, 97 pacientes morreram nas últimas 24 horas, em São Petersburgo 69 e nos arredores de Moscovo 50.

Lusa

As vacinas atuais podem ser ineficazes contra a variante Ómicron, avisa Moderna

As vacinas contra a covid-19 desenvolvidas até agora podem ter dificuldades no combate à variante Ómicron e vão ser precisos meses para desenvolver uma nova fórmula eficaz contra esta variante, afirmou o CEO do laboratório norte-americano Moderna ao jornal Financial Times.

Stephane Bancel afirmou na entrevista publicada esta terça-feira que os dados sobre a eficácia das vacinais contra a nova variante estarão disponíveis nas próximas duas semanas, mas afirmou que os cientistas não estão otimistas. "Todos os cientistas com quem conversei... sentem que 'isto não vai ser bom'", disse.

Leia mais aqui

Japão identifica primeiro caso da variante Ómicron

O Japão confirmou, esta terça-feira, o seu primeiro caso da variante Ómicron, um dia depois do país anunciar novas restrições para o controlo nas fronteiras.

Trata-se de um "viajante que chegou da Namíbia", um caso de Ómicron confirmado após análise no Instituto Nacional de Doenças Infeciosas, explicou o porta-voz do governo, Hirokazu Matsuno, aos jornalistas.

"Este é o primeiro caso de Omicron confirmado no Japão", disse Matsuno, acrescentando que o viajante infetado, um homem na casa dos 30 anos", está agora isolado numa unidade de saúde.

O anúncio foi feito um dia depois de o Japão voltar a adotar regras rígidas no controlo nas fronteiras, impedindo todas as novas chegadas de estrangeiros.

"Proibiremos todas as (novas) entradas de estrangeiros de todo o mundo a partir de 30 de novembro", disse o primeiro-ministro nipónico, Fumio Kishida.

Os japoneses que regressam de nove países da África Austral e de países onde foram relatadas infeções com a nova variante terão de ser submetidos a "medidas rigorosas de isolamento de acordo com os riscos", disse Kishida.

AFP

Johnson & Johnson já está a desenvolver vacina contra variante Ómicron

O laboratório Johnson & Johnson (J&J) revelou na segunda-feira que já começou a desenvolver uma nova versão da sua vacina contra a covid-19, visando especificamente a nova variante Ómicron, caso a atual fórmula não seja suficientemente eficaz.

Em comunicado de imprensa, a empresa norte-americana explicou que está "em processo de avaliação da eficácia da sua vacina contra a covid-19 contra variantes", incluindo a Ómicron.

Ao mesmo tempo, o grupo farmacêutico está "a trabalhar numa vacina mais específica para a variante Ómicron, que a irá desenvolver se necessário", noticia a agência AFP.

A J&J salientou, no entanto, que "continua confiante" na resposta imunológica da sua atual vacina de toma única contra as variantes.

O laboratório acrescentou que pode iniciar "rapidamente" os ensaios clínicos caso seja necessário, garantiu o responsável pela investigação, Mathai Mammen.

Leia mais aqui

Farmácias garantem disponibilidade de testes apesar do aumento da procura

A Associação Nacional das Farmácias (ANF) assegura que existe disponibilidade de testes rápidos à covid-19 nas farmácias portuguesas para responder ao aumento da procura do serviço.

"Os portugueses podem estar tranquilos, que as farmácias dispõem de quantidade suficiente para responder ao aumento da procura do serviço de realização de testes antigénio e autotestes", assegurou a presidente da ANF, Ema Paulino, citada num comunicado divulgado na segunda-feira, ao final do dia.

Ema Paulino diz que após a declaração do estado de calamidade por parte do Governo, a vigorar a partir de quarta-feira, verificou-se um pico de procura por este tipo de testes, adiantando que o abastecimento de testes será reforçado.

Na sequência deste aumento, segundo a presidente da ANF, têm vindo a ser distribuídas quantidades controladas de testes a cada farmácia por forma a garantir um fornecimento homogéneo no território nacional.

Na sexta-feira, 26 de novembro, as farmácias portuguesas realizaram 30 147 testes de antigénio, número ainda inferior aos 35 475 registado a dia 30 de julho.

Leia mais aqui

Conselho de Ética critica Governo por não ser ouvido sobre medidas

A presidente do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida criticou esta terça-feira o Governo por não ouvir este órgão sobre medidas contra a pandemia, como a vacinação de crianças, em que há "claramente questões éticas".

"A maior crítica é a de o conselho não estar envolvido em nenhuma tomada de decisão de políticas públicas [relativas à pandemia de covid-19], quando sabemos que elas têm impactos significativos nos direitos e deveres da população", disse à Lusa Maria do Céu Patrão Neves.

Na sua opinião, o conselho deveria ter participado desde o início da pandemia nas reuniões de peritos com políticos que se têm realizado no Infarmed, em Lisboa.

"É estranho que o Conselho de Ética para as Ciências da Vida nunca tenha sido chamado", afirmou.

Referindo-se à vacinação de crianças entre os 5 e os 11 anos, sobre a qual a Direção-Geral da Saúde deverá emitir uma recomendação esta semana, após receber um parecer da comissão técnica de vacinação, Maria do Céu Patrão Neves questionou se a "ponderação dos riscos e dos benefícios envolve apenas as crianças ou também os adultos".

"A vacinação deste grupo de crianças coloca claramente questões éticas", declarou a presidente do conselho, referindo que "o conselho não tomou nenhuma posição nem se reuniu porque não tem sido envolvido".

Lusa

China deteta 39 casos nas últimas 24 horas

A China detetou 39 casos de covid-19, nas últimas 24 horas, 21 por contágio local e os restantes oriundos do estrangeiro, anunciaram esta terça-feira as autoridades de saúde do país.

Os casos locais foram todos diagnosticados na região autónoma da Mongólia Interior, no norte da China.

A Comissão de Saúde da China adiantou que o número total de casos ativos é de 790, entre os quais sete graves. Desde o início da pandemia, o país registou 98 711 casos da doença e 4636 mortos.

Lusa

Bom dia.

Bem-vindo ao liveblog do DN sobre a pandemia. Siga aqui os principais desenvolvimentos da covid-19 em Portugal e no mundo.