74 mil crianças para vacinar, mas há faltas devido a novos casos

Processo de vacinação retomou este fim de semana para o grupo dos 5 aos 11 anos. As novas infeções têm motivado faltas nos centros de vacinação por todo o país.

A vacinação das crianças entre os 5 e os 11 anos foi retomada este sábado, sendo que a maioria para concluir o processo. Estavam inscritas 74 mil, 77 % das quais para a segunda dose. Mas os novos casos de covid-19 têm motivado faltas nos centros de vacinação por todo o país. Nos últimos 14 dias, mais de 110 mil crianças dos 0 aos 9 anos ficaram infetadas, a que se somam quase 119 mil do grupo dos 10 aos 19. A estes casos juntam-se os que estão em isolamento obrigatório por serem contacto próximo de alguém infetado com o SARS-CoV-2.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) prevê só na segunda-feira ter os números finais da vacinação deste fim de semana no grupo dos 5 aos 11 anos. Estavam agendadas 17 mil crianças para a 1.ª dose e 57 mil para a 2.ª A manhã deste sábado foi dedicada em exclusivo aos mais novos, abrindo depois em regime de "casa aberta" para os restantes, modalidade que também as crianças puderam usar.

O processo de vacinação dos mais novos teve início no fim de semana de 18 e 19 de dezembro, com as crianças de 10 e 11 anos, e são estas que constituem o maior grupo de vacinação neste fim de semana. A última idade a iniciar o processo foi a dos 5 anos, entre 23 e 25 de janeiro.
Até este sábado, 301.126 crianças entre os 5 e os 11 anos tinham iniciado o processo de vacinação. Representam 49,28% da população deste grupo etário: 611. 031 pessoas em 2020, segundo as estimativas demográficas do Instituto Nacional de Estatística.

O tratamento dos dados da DGS de doentes com covid-19 não permite perceber a progressão da doença apenas nas crianças entre os 5 e os 11 anos. Mas permite verificar que há uma taxa elevada de infetados entre a população mais nova com a nova variante Ómicron. E, segundo a última alteração das normas, quem teve covid-19 só poderá tomar a vacina três meses após ter tido a doença.

Nos últimos sete dias, mais 45.303 com menos de 10 anos ficaram infetados. Na semana anterior tinham sido 65.434, num período em que Portugal terá atingido o pico de infeção desta vaga da pandemia. O mesmo aconteceu com o grupo etário seguinte, dos 10 aos 19 anos, com 54.421 e 64.510, respetivamente. E na semana entre 16 e 22 de janeiro as novas infeções nestas idades foram equivalentes às da última semana.

5,2 milhões com o reforço da vacina

Em Portugal, 8,8 milhões de pessoas têm as duas doses da vacina e 5,261 milhões foram inoculadas com o reforço, mais 68.336 só na última sexta-feira. Este domingo, os centros de vacinação continuarão a dedicar a manhã a vacinar as crianças, abrindo depois para todas as idades e até às 19h00.

Na última semana houve uma diminuição de casos de infeção diários por SARS-CoV-2, com mais 41.511 nas últimas 24 horas. Entre estes, 5129 dos novos infetados têm menos de 10 anos e 7135 estão entre os 10 e os 19 anos.

Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais novas infeções (8474), totalizando 20% do total. Segue-se o Norte, com mais 6134 casos, e, em terceiro, o Centro, com praticamente metade dos registados a norte (3546).

Há mais 44 vítimas mortais. Destas, 17 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 13 no Norte e nove no Centro. A Região Autónoma da Madeira não registou mortes nas últimas 24 horas. Portugal regista agora 20.171 óbitos desde o início da pandemia.


O número de doentes internados nos hospitais portugueses diminuiu no último dia, havendo agora menos 36 pessoas, o que dá um total de 2409 internamentos. Destes, 169 estão nas unidades de cuidados intensivos, menos cinco do que no dia anterior.
ceuneves@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG