Mesmo quem não usa acredita que pode confiar na Uber

Estudo encomendado ao ISCTE quando se cumprem dois anos da aplicação em Portugal, onde chegou em julho de 2014, faz retrato muito positivo da Uber

Bom serviço, conforto, facilidade de utilização, saber quem é o condutor e ter o seu contacto e segurança são alguns dos fatores indicados pelos utilizadores da Uber para defender que a aplicação deve ser permitida em Portugal. Num estudo encomendado pela empresa ao ISCTE, para marcar os dois anos no país, no qual foram inquiridas 900 pessoas entre os 25 e os 44 anos, 96% dos que já são utilizadores afirmaram que gostavam de ver as novas tecnologias e modelos de negócio ligados à mobilidade livres para operar em Portugal. Mais de 90% preocupam-se com o futuro da plataforma no país e 95% concordam que o governo tem um papel importante na criação de uma regulação moderna e transparente em relação a novas formas de mobilidade como a Uber.

Mas não é só entre os utilizadores que se fazem avaliações positivas a este serviço. Entre os inquiridos que nunca recorreram à aplicação, 75% concordam que podem contar com a Uber e 63% defendem que a empresa lhes transmite confiança.

"Os resultados obtidos, na vertente meramente descritiva, permitem concluir sobre a solidez da Uber em Portugal quanto a elementos essenciais da prestação do serviço. As avaliações são fortemente positivas, na vertente da qualidade de serviço, orientação para o cliente, experiência emocional e vínculo afetivo bem como fidelização à marca", explica Pedro Fontes Falcão, coordenador da equipa que levou a cabo o estudo Audax-ISCTE e docente da ISCTE Business School. "Esta avaliação positiva observa-se também tendencialmente entre não clientes, cuja expectativa é convergente quanto à reputação e expectativa de qualidade de serviço."

Razões pelas quais praticamente todos os utilizadores recomendaria o serviço a outras pessoas e muitos estariam até dispostos a ajudar a empresa, se necessário (75%). Não é de estranhar, portanto, que o nível de lealdade entre os utilizadores da aplicação esteja acima dos 80% e que três quartos deles gostasse de ver o seu presidente de câmara encorajar o uso de alternativas como a Uber em detrimento do carro próprio.

O estudo incide ainda sobre o uberGREEN - opção da plataforma que dá acesso a viagens em carros 100% elétricos, disponível em Lisboa e Porto -, revelando que 81% dos utilizadores sentem-se satisfeitos e 89% assinalam ser um serviço que diferencia a Uber de outros operadores. No universo de não-utilizadores, 79% considera positivamente a categoria de serviço e admite ser um fator de diferenciação da plataforma.

Quanto aos não utilizadores, a necessidade de associar um cartão de crédito à aplicação é o principal dissuasor (mais de 50%).

Plataforma de tecnologia que liga pessoas que querem viajar nas cidades a operadores de mobilidade disponíveis para as transportar, proporcionando o acesso a viagens simples, seguras e convenientes, a Uber chegou a Portugal em julho de 2014, estando já em Lisboa, no Porto e no Algarve.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG