Lisboa espera de Washington "toda a clareza no reforço da ligação transatlântica"

Ministro Santos Silva nota que "Governo português trabalhará com qualquer administração na base da enorme relação de confiança recíproca" que existe entre Portugal e EUA

Com as cautelas próprias da diplomacia, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, recusou manifestar-se sobre o eventual resultado das eleições presidenciais americanas, preferindo sublinhar que "o Governo português trabalhará com qualquer administração na base da enorme relação de confiança recíproca e de cooperação que existe entre os dois países".

Falando aos jornalistas, no Parlamento, antes da sua participação na Comissão de Orçamento e Finanças - no âmbito das audições do debate na especialidade do Orçamento do Estado para 2017 -, Santos Silva disse ter "uma absoluta certeza", de que estas "eleições decorrerão com toda a normalidade" e que "o povo americano escolherá o seu próximo ou a sua próxima presidente".

Quando questionado sobre se é indiferente o resultado, o ministro dos Negócios Estrangeiros insistiu que o Governo de Lisboa espera "da próxima Administração dos Estados Unidos toda a clareza no reforço da ligação transatlântica e nos compromissos que os Estados Unidos já assumiram, e continuarão a assumir certamente, em relação a instituições multilaterais, como por exemplo a Aliança Atlântica".

Na hora de dizer se isso pode ser feito com qualquer um dos candidatos, Santos Silva chutou para canto. "Não quero interferir na eleições americanas", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG