Judiciária apreendeu um Ferrari e um McLaren

"Operação Inovar" prendeu um advogado e uma mulher. Ambos são suspeitos de montarem esquemas de fraude a fundos comunitários. O dinheiro seria utilizado na compra de carros de gama alta

Um advogado de Leiria e uma mulher foram, esta terça-feira, detidos por suspeitas dos crimes de fraude e desvio na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. Na "Operação Invovar", levada a cabo pela Unidade Nacional Contra a Corrupção da Polícia Judiciária, foram ainda constituídos mais 21 arguidos, 12 pessoas e nove empresas, sendo que os inspetores apreenderam nove veículos de gama alta, entre os quais, soube o DN, se encontra um Ferrari e um Mclaren.

De acordo com informações recolhidas, o casal dedicou-se nos últimos anos a apresentar candidaturas a fundos comunitários para projetos na área da indústria e reciclagem, empolando, porém, o custo dos mesmos. Os projetos entregues no IAPMEI, Agência para a Competitividade e Inovação, de acordo com fonte ligada à investigação, tanto poderiam ser verdadeiros como totalmente fictícios, sendo que os incentivos eram feitos através do QREN, Quadro de Referência Estratégica Nacional.

No decurso da operação, denominada "Inovar" e que envolveu 160 elementos da PJ, um juiz de instrução criminal e uma procuradora da República, foram realizadas 53 buscas nas áreas de Leiria, Coimbra, Lisboa e Porto, das quais vinte domiciliárias, duas em escritórios de advogados e trinta e uma não domiciliárias.

Segundo a PJ, foram também realizadas duas buscas não domiciliárias na Alemanha.

A PJ refere ainda que a investigação vai prosseguir com vista à continuação de recolha de prova e ao apuramento dos benefícios económicos ilegitimamente obtidos em prejuízo do Estado português, cujo valor global ultrapassará os cinco milhões de euros.

Os detidos serão presentes ao Ministério Público para primeiro interrogatório judicial no Tribunal Central de Instrução Criminal.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG